Dona de casa encontra cobra em alface na hora de preparar o almoço

Dona de casa encontra cobra em alface na hora de preparar o almoçDona de casa encontra cobra em alface na hora de preparar o almoç

Uma cobra de aproximadamente 40 centímetros foi encontrada por uma dona de casa em um pé de alface, em Goianésia, a 198 km de Goiânia, na sexta-feira (3). O animal foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros.

Segundo a corporação, a cobra, possivelmente um filhote de jararaca-dormideira, foi encontrada pela dona de casa quando ela preparava o almoço. Ela se deparou com o animal quando lavava a hortaliça, adquirida na feira: “Ela nos acionou ao meio dia, mas não soube dizer se a cobra já veio da feira ou se ela deixou o pé de alface em algum lugar e o animal entrou”, explicou o tenente Ary Bernardo Dutra.

Segundo ele, o resgate durou cinco minutos. A equipe usou equipamentos para se proteger de uma possível reação da cobra. Eles a colocaram em uma caixa de madeira com furos nas laterais para possibilitar a circulação do ar. O animal foi levado para Secretaria Municipal do Meio Ambiente da cidade e deverá ser encaminhado ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Goiânia

0
0
0
s2sdefault

Ladies na Life Club dia 04/08

Ladies na Life ClubLadies na Life Club

0
0
0
s2sdefault

Baile do Hawai 2012 acontece dia 15 de setembro!

Baile do Hawai 2012 em Goianésia acontece dia 15 de setembro.Baile do Hawai 2012 em Goianésia acontece dia 15 de setembro.

A festa mais esperada do ano em Goianésia está chegando! O Baile do Hawai 2012 acontece dia 15 de setembro. Além das melhores bandas e djs, o A festa trará algumas atrações. Entre elas,uma gata do Pânico estará presente. Vote na enquete no nosso site e escolha qual beldade, você quer ver este ano na melhor festa de Goianésia. Para você lembrar quem são:

Babi panicatBabi panicat

Thais Bianca panicatThais Bianca panicat

Renato Mollinaro panicatRenato Mollinaro panicat

 

 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault

Policiais civis decidem manter paralisação

Policiais civis de Goiás estão em greve desde o o dia 11 de julho.Policiais civis de Goiás estão em greve desde o o dia 11 de julho.

Agentes e escrivães decidem pela continuidade da greve, mesmo com decisão da Justiça considerando-a ilegal.

Os policiais civis de Goiás decidiram ontem (31) continuar em greve por tempo indeterminado. A decisão veio após o anúncio do governo de que, caso os servidores continuassem paralisados, teriam seus pontos cortados. A categoria está em greve desde o dia 11 de julho. O assessor jurídico do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol), Rainel Mascarenhas Rufo, afirmou que a greve da categoria é legal e justa. “É impossível cortar os nossos pontos, pois nós temos jurisprudência. A greve é legal e está autorizada pela Constituição. E por causa disso não é possível o corte de ponto. É um equívoco muito grande.”

O Sinpol e a União Goiana dos Policiais Civis (Ugopoci) foram notificados pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ) sobre a ilegalidade de sua paralisação através de uma liminar que decreta o fim imediato da greve.

No entanto, a categoria decidiu continuar paralisada, pois, de acordo com Rainel Mascarenhas, eles irão recorrer desta decisão nos próximos dez dias.

“Nas cinco últimas paralisações que fizemos foi dada a mesma sentença pelo TJ, mas, como estávamos certos, ganhamos. Então temos jurisprudência”, explicou.

“Única opção”

O sindicato afirma que a greve foi a única opção da categoria após as portas de negociação com o governo estadual terem sido fechadas. “Tentamos conversar durante um ano e seis meses, mas não chegamos a um acordo e não nos foi dada mais nenhuma oportunidade de conversa. Então tivemos que tomar esta decisão”, afirmou o assessor jurídico do Sinpol.

Atendimentos

Durante os vinte dias de greve, o Sinpol informou que foram feitas apenas 1,5 mil ocorrências, enquanto, em dez dias de trabalho normal, geralmente são registrados 13 mil procedimentos. Ou seja, apenas 11% do total de ocorrências normalmente registradas estão sendo feitos. Segundo a norma indicativa de greve, apenas crimes hediondos e emergências estão sendo atendidas pela Polícia Civil.

Na última segunda-feira, o Sinpol e a Ugopoci se reuniram com o Secretário de Segurança Pública e Justiça (SSPJ), João Furtado de Mendonça Neto, para discutir uma nova proposta do governo. Segundo o sindicato, a SSPJ, junto com a Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Seretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), está estudando uma tabela de propostas que vai ser votada em assembleia pela categoria.

Ontem, em assembleia, os policiais civis decidiram que, na próxima terça-feira, farão uma passeata, saindo da Assembleia Legislativa de Goiás e indo em direção ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Fonte: O Popular

0
0
0
s2sdefault

Vem aí o Root Beer em Goianésia!

0
0
0
s2sdefault

Ex-mulher de Cachoeira não quer falar na CPI

Andréia Aprígio, ex-mulher de Cachoeira.Andréia Aprígio, ex-mulher de Cachoeira.

A defesa de Andréa Aprígio, ex-mulher do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) o direito de ficar calada em depoimento na próxima quarta-feira (8/7) à CPI do Congresso Nacional que investiga as relações do contraventor com políticos e empresários.

O habeas corpus foi protocolado nesta segunda (30) e tornado público pelo tribunal nesta terça (31). A relatora é a ministra Rosa Weber, mas ainda não há previsão para decisão.

A defesa pediu "direito de permanecer calada ou em silêncio, de não assinar termo de compromisso de dizer a verdade, de não se autoincriminar, de ser assistida por seus advogados e, principalmente, de não ser presa ou processada por desobediência ou falso testemunho".

Atualmente, Andréa Aprígio dirige a indústria farmacêutica Vitapan, que, segundo investigações da Polícia Federal na Operação Monte Carlo, é comandada pelo bicheiro. A ex-mulher seria uma "laranja" de Cachoeira.

A defesa informa ao STF que ela foi casada com Cachoeira até 2004 e que tem três filhos com ele. O documento diz que Andréa Aprígio se viu "enrodilhada no estrépito forense decorrente da prisão do seu ex-marido".

Por conta da apuração da PF, alega a defesa, Andréa Aprígio é tratada como investigada "não podendo, assim, figurar como testemunha".

No pedido, os advogados criticam o fato de que a intimação para ela comparecer à CPI foi deixada na portaria do prédio em um momento em que ela estava em viagem.

0
0
0
s2sdefault

css custom

© 2021 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados