O mal do pensamento positivo

Há muito que se sabe que as pessoas que externam positividade são as que mais precisam dela. Longe de figurar na lista das contradições humanas, o comportamento está na categoria da autocura, o ensinamento de que se cultiva aquilo que se necessita. Mas depois de ler a Sociedade do Cansaço, obra do sul-coreano radicado na Alemanha, Byung-chul Han, entendi que o problema é muito mais grave.

Filósofo da sociedade moderna e um dos mais reconhecidos dissecadores dos males que acometem o homem, Han afirma que por conta da pressão do sistema econômico global focado em lucros crescentes, chegamos ao reino da competência e da alta performance. Uma condição que o filósofo chama de Sociedade do Desempenho. A alta performance está em todas as esferas e é visível nas nossas estruturas físicas: academias de fitness, edifícios inteligentes, bancos online, aeroportos sustentáveis, shopping centers e laboratórios de genética.

Porém, toda essa estrutura demanda alguém para sustentá-la. A sociedade do desempenho precisa de você para se manter de pé. Escolas técnicas e universidades formam trabalhadores, MBA´s treinam especialistas e uma máquina de marketing incentiva a caminhada para cima. Estamos no reino da positividade: há receitas para uma vida bem-sucedida; conselhos de gurus iluminados, palestras motivacionais; estímulos para o sucesso profissional.

As lições da autoajuda estão disseminadas em todo o globo. Sabemos o que é preciso ser feito. Temos de ser positivos, produtivos (competentes), empreendedores (pró-ativos), inovadores (criativos)…  Ah! Mas não é muita coisa? Claro que não. Usamos apenas 20% da nossa capacidade cerebral, ainda podemos muito mais… A romantização do trabalho árduo e a sensação do dever cumprido fazem o resto. Estamos completamente exaustos, no limite das forças, mas achamos que estamos no caminho certo.

Ocorre que este ritmo está adoecendo o homem. E esta é a grande denúncia de Han. Para ele, todas as épocas têm seus males. Houve o tempo das doenças bacterianas, depois as virais. Com o desenvolvimento da ciência — a descoberta do sistema imunitário e os antibióticos — passou-se para a fase seguinte.  Agora, século XXI, por conta do excesso de positivismo, no panorama patológico estão as doenças neuronais, como a depressão, o Alzheimer, o transtorno de deficit de atenção e hiperatividade, transtornos de personalidade (bipolaridade e borderline), anorexias, Síndrome de Burnout (estado físico, emocional e mental de exaustão extrema).

Para ele, o excesso de pensamento positivo — e a disposição para ver só o lado bom de tudo — está imputando ao homem males incuráveis. Não estamos mais diante da negatividade, de um agente agressor como um vírus ou uma bactéria. Não há um agente negativo que o nosso sistema imunológico detecta e tenta combater. O agente agressor somos nós mesmos. A causa da doença, a violência neuronal, é feita por nós e para nós. É uma autoagressão. A pessoa cobra-se cada vez mais para apresentar melhores resultados, tornando-se, ela própria vigilante e carrasca de suas ações. Ela explora a si mesma — submete-se a trabalhar mais e a receber menos — e acha que está se realizando.

E é por essa razão que há números recordes de males neuronais, como depressão, transtornos de personalidade e doenças autoagressivas, como as compulsões e os transtornos alimentares. Na sociedade do desempenho todas as atividades humanas entram para o saco da eficiência, o que torna o homem hiperativo e hiperneurótico.

Para quem rebate que vivemos numa sociedade melhor,  em comparação com o regime de repressão e obediência — comum nas ditaduras — Han não concorda. Para ele, a sociedade positiva é muito pior, porque é difícil combatê-la. Ela vem numa embalagem de motivação. Achamos que ela é boa, que ajuda. Não identificamos a “motivação”, o “pensar positivo” como  algo nocivo e, por isso, não a combatemos. As redes sociais estão repletas de frases motivadoras; gurus e influenciadores gritam “não desista, não recue”; as livrarias trazem técnicas de performance e biografias de vencedores. E aceitamos tudo porque pensamos que é o melhor para nós.

Os estímulos são importantes e tem um papel. O problema é o excesso. Quando eles ultrapassam os limites e passamos a nos comportar como hamsters que correm na roda. Trabalhamos arduamente, fazemos cursos de especialização, cuidamos do corpo, do  nosso espaço, levamos os nossos filhos para cursos disso e daquilo (eles também precisam) e não atingimos os objetivos. Apesar do cansaço extremo e da frustração achamos que não estamos nos empenhando o suficiente — a culpa é nossa — e continuamos a arrastar o fardo.

O que está errado, o que o positivismo não ensina, são os limites. O trabalho extenuante não é garantia de carreira bem-sucedida. É o contrário. Férias de 30 dias ou mesmo um ano sabático pode fazer muito mais pela sua carreira do que dedicação exclusiva e em tempo integral. Profissionais que trabalham sob pressão e com responsabilidades diárias, como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas, dentre outros — e que ainda tem excesso de trabalho — são candidatos a Burnout, também chamada de síndrome do esgotamento profissional.

E se você tem orgulho de se intitular workaholic porque passa a ideia de competência, já é consenso entre os especialistas de que adaptação ao trabalho em excesso também pode ser um sintoma  da depressão. A crença de que quem sofre de depressão está sempre desanimado e sem energia não é verdadeira. A depressão tem muitas caras e uma delas é o vício em trabalho.

E quando o mal está instalado, o positivismo e as dicas de autoajuda aceleram a descida para o fundo. Recomendar a uma pessoa com depressão que ela tem de se animar é uma agressão. Porém, não há o que fazer, o positivismo está em toda parte e não é possível destruí-lo. Mas dá para amortecer os seus golpes. Seja crítico e questione o pensamento vigente. Se possível, vá às mesmas fontes: nas livrarias procure obras que falam sobre as alegrias da imperfeição, os benefícios do fracasso.

Essas abordagens funcionam como uma vacina e ajudam a assentarmos os pés na terra. O tédio, a solidão, a introspecção e a contemplação viraram os grandes vilões da sociedade positiva. Eles não são. Trago-os para a sua vida. Assuma: hoje não vou fazer nada. Encerre o seu dia de trabalho uma hora a menos do que o habitual e use essa hora como um bônus para uma caminhada sem destino pelas ruas. Separe momentos do seu dia para refletir, pensar, abstrair. Dê-se tempo livre, reserve momentos para não fazer nada produtivo.

Descanse. Desligue-se do mundo de vez em quando. A obsessão em ter todas as horas do dia preenchidas, saber tudo o que acontece, ter o controle de tudo, aumentam os níveis de ansiedade, sobrecarregam a mente e trazem um enorme cansaço para a vida.

Margot Cardoso (@margotcardosoé jornalista e pós-graduada em filosofia. Mora em Portugal há 16 anos, mas não perdeu seu adorável sotaque paulistano. Nesta coluna, semanalmente, conta histórias de vida e experiências sempre à luz dos grandes pensadores.

Fonte: Revista Vida Simples

 

0
0
0
s2sdefault

30% dos casos de câncer no Brasil são de pele

O "Dezembro Laranja" é a campanha promovida todos os anos pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). A iniciativa tem como objetivo principal alertar sobre os #SINAISDOCANCERDEPELE para diagnóstico e tratamento precoces, aumentando as chances de cura na grande maioria dos casos. Os números de câncer de pele no Brasil são alarmantes! De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente, são diagnosticados 180 mil casos novos da doença. Isso significa que 1 em cada 4 casos novos de câncer no Brasil, é de pele.
 
Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) revelam que o câncer de pele corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no Brasil.
 
Os três tipos de câncer de pele mais comuns são o carcinoma basocelular, carcinoma de células escamosas e o melanoma maligno. O diagnóstico da doença vai variar desde uma mancha simples que nunca evolui até o quadro de tumor mais agressivo, que pode levar à morte. Mesmo casos menos agressivos demandam tratamento. "Se não forem tratados, podem crescer muito e até destruir o tecido ao redor", diz o oncologista Antonio Carlos Buzaid, do Instituto Vencer o Câncer. 
 
Detecção 
O câncer de pele é detectável por meio de um exame clínico feito pelo dermatologista. Também é feita uma dermatoscopia, que consegue analisar pontos que identificam o câncer de pele. "E, para fechar o diagnóstico, precisamos fazer uma exérese (cirurgia para retirar parte de um órgão) dessa lesão e análise", explica Maria Paula Del Nero, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). A metástase é mais comum no melanoma. "Se for melanoma, que é o tipo mais agressivo de câncer, o paciente terá de fazer uma retirada ampla da pele ao redor da lesão", diz Maria Paula. 
 
Dependendo do tipo de câncer, é preciso acompanhar a lesão por alguns anos. Para prevenir o câncer de pele, especialistas recomendam o uso de filtro solar em todas as áreas que podem ser expostas ao sol, como rosto, couro cabeludo, braços e pernas. O próprio paciente pode perceber alguma mancha suspeita no corpo e buscar atendimento. Desde 2014, a campanha Dezembro Laranja, da SBD, busca mostrar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. 
 
A DOENÇA
 
Incidência 
É o câncer mais frequente no Brasil e no mundo. É mais comum em pessoas com mais de 40 anos e é considerado raro em crianças e pessoas negras. Causado principalmente pela exposição excessiva ao sol. 
 
 
Sintomas 
Manchas que coçam, sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor, feridas que não cicatrizam em quatro semanas. O tipo não melanoma tem alta chance de cura. 
 
Prevenção 
Uso de filtro solar em todas as áreas do corpo que podem ser expostas ao sol. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Agência Estado)
0
0
0
s2sdefault

Receita deposita restituição do 7º lote do Imposto de Renda

Brasília - O crédito bancário do sétimo lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF) 2019 está disponível nas contas dos contribuintes a partir desta segunda-feira (16). O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.
 
Ao todo 320.606 contribuintes têm direito ao crédito, totalizando R$ 700 milhões, dos quais R$ 172.952.366,78 são preferenciais: 3.308 idosos acima de 80 anos, 21.410 com idade entre 60 e 79 anos, 3.172 com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 9.789 cuja maior fonte de renda seja o magistério.
 
Para saber se teve a declaração liberada, basta acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível buscar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.
 
A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones, o? que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.
 
A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF - Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.
 
Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco. (Agência Brasil)
0
0
0
s2sdefault

Especial de Natal do Porta dos Fundos revolta setores religiosos do País

Gregório Duvivier e Fábio Porchat no 'especial de Natal Porta dos Fundos: A primeira tentação de cristo.

O especial de Natal Netflix Porta dos Fundos chegou causando  muita polêmica no catálogo do serviço de streaming.

A produção de 46 minutos estrelada por Gregorio Duvivier, Fábio Porchat e Antonio Tabet faz uma paródia sobre “A Primeira Tentação de Cristo” e já na descrição do filme avisa: “Jesus está fazendo 30 anos e traz um convidado surpresa para conhecer a família. Um especial de Natal tão errado que só podia ser do Porta dos Fundos”.

Entre os temas mais polêmicos da trama estão um suposto namoro de Jesus Cristo, Duvivier, com outro homem, Porchat, e uma ceia de Natal caótica.

O filme gerou revolta de grupos cristãos com líderes católicos e evangélicos pedindo que fiéis cancelem suas contas na Netflix e que boicotem o Porta dos Fundos. Um abaixado assinado no change.org, pedindo o impedimento do filme por "por ofender gravemente os cristãos", já conta com mais de 1 milhão de assinaturas.

O Porta do Fundos disse à imprensa que 'valoriza a liberdade artística e faz humor e sátira sobre os mais diversos temas'. A Netflix disse que não vai se pronunciar sobre o caso e que 'valoriza a liberdade de expressão artística’.

 

0
0
0
s2sdefault

Operação “Perdeu Playboy” fecha a maior boca de fumo em atividade em Goianésia

Na noite do último dia 12, a Polícia Civil de Goianésia através do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos - GENARC, prendeu duas pessoas suspeitas de comandarem a maior “boca de fumo” em atividade na cidade, sendo que na ocasião os policiais civis apreenderam porções diversas de maconha, crack e cocaína do tipo escama de peixe (de boa qualidade), balança de precisão, faca, tesoura e embalagens utilizadas para fracionar e embalar os entorpecentes, além de quase R$ 1.500 em cédulas de pequenos valores.

Segundo a polícia, a equipe do GENARC chegou ao local no exato momento em que a dupla responsável pela venda de drogas estava cortando e pesando a droga. A polícia informou ainda que em menos de 20 minutos mais de 15 usuários de drogas foram detidos após comparecerem à “boca de fumo dos playboys” para adquirir drogas.

Os suspeitos Henrique Gonçalves Amaro de Souza, o Henrique Playboy, de 19 anos, e seu comparsa Marcos Vinícius Cipriano Gomes, o Binel, de 23, receberam voz de prisão e em seguida conduzidos à Delegacia de Polícia onde foram autuados em flagrante delito pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas, por serem, de acordo com as investigações, os principais suspeito de comercializarem drogas diversas naquela residência, localizada na Rua 37, Setor Sul.

A Polícia Civil ressaltou que Henrique Playboy já possui uma passagem pelo crime de tráfico de drogas, ao contrário de Binel, que não possui antecedentes criminais. Já os usuários de drogas, após serem ouvidos em declarações, foram liberados na condição de testemunhas.

Para obter êxito nesta operação policial os policiais civis realizaram várias diligências compostas por campanas fixas e móveis que foram auxiliadas por denúncias anônimas extraída do disk denúncia da Polícia Civil de Goianésia

Fonte / Foto: Meganésia

0
0
0
s2sdefault

Tinha até R$ 998 de FGTS e sacou R$ 500? Restante fica disponível em 20/12

Aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Medida Provisória (MP) nº 889 aumentou o valor do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Antes a quantia era de R$ 500. Agora, alguns trabalhadores poderão retirar até R$ 998.

Batizado de saque complementar, o dinheiro começa a ser liberado a partir da próxima sexta-feira (20/12/2019)

Caixa Econômica Federal, que realiza o pagamento, estima que 10 milhões de pessoas serão beneficiadas com a nova modalidade. Ao todo, serão liberados R$ 2,6 bilhões.

Quem pode sacar?
A regra básica é que o trabalhador tenha saldo em qualquer conta do FGTS, seja ativa ou inativa. É preciso ter entre R$ 500 e R$ 998 no dia 24 de julho deste ano, data básica da Caixa.

E se eu tiver mais de R$ 998?
Os trabalhadores com mais de R$ 998 têm direito apenas a R$ 500 do saque-imediato. O valor já começou a ser liberado e, na próxima quarta-feira (18/12/2019), a Caixa paga a última parcela. Será a vez dos nascidos em novembro e dezembro.

Quanto posso sacar?
Quem ainda não sacou nada do saque imediato, a partir de 20 de dezembro estará disponível todo o valor, ou seja, até R$ 998. Quem já retirou os R$ 500, pode pegar a diferença.

E se eu tiver duas contas?
A Caixa não olha o trabalhador, mas o número de contas. Assim, quem tem duas contas e ambas têm menos de R$ 998, recebe o complemento.

Como faz para consultar o valor do meu FGTS?
Para saber os valores disponíveis para o saque, os canais de recebimento e as opções de crédito em conta, clique aqui, baixe o App FGTS ou acesse o Internet Banking Caixa.

0
0
0
s2sdefault
© 2020 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados