Baixa umidade e ventos mais fortes aumentam níveis de alerta, mostra Boletim Queimadas nº 07

queimadas 2queimadas 2

O Estado de Goiás chegou, no último dia 19 de julho, em 55 dias sem chuvas. Segundo o Boletim Queimadas nº 07, foi registrado um aumento de 78% em relação ao levantamento da semana anterior, de 74 focos para 132. 

A região Sudoeste tem a situação mais crítica, tendo ultrapassado o acumulado de julho de 2019 em apenas 20 dias deste mês. Ao todo, foram 78 queimadas entre os dias 1º e 19 de julho, contra 71 nos 31 dias de julho do ano passado. Somente na semana entre 13 e 19 de julho, foram 29 focos. 

Os dados constam do relatório produzido pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), divulgado semanalmente pela Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

VEJA AQUI O BOLETIM QUEIMADAS 07 - SEMANA (13/07 a 19/07)

Segundo André Amorim, gerente do Cimehgo, Goiás entra, a partir de agora, em um período de atenção redobrada. “Entramos em uma fase mais delicada, com baixa umidade relativa do ar, maior velocidade média dos ventos e vegetação bastante seca, cenário típico do Cerrado, que são fatores que dificultam o combate às queimadas”, afirma.

De acordo com o Boletim nº 07, a APA do Pouso Alto voltou a ter ocorrências, com nove focos, seis deles em Alto Paraíso. 

As informações do Boletim Queimadas levam em consideração dados obtidos por meio do satélite de referência aqua (M-T), instrumento em que os focos de calor detectados são utilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) como referência de dados oficiais. Os focos de queimadas em áreas urbanas são detectados pelo satélite NPP-375.

 

Site Semad GO

0
0
0
s2sdefault

Operação Postulatio cumpre mandados associação criminosa; morador de Goianésia está entre os suspeitos

Foram presos 11 suspeitos de crimes como falsidade ideológica, falsificação de documentos, estelionato e lavagem de dinheiro. Golpes podem ter gerado prejuízos de mais de R$ 2 milhões (Foto: SSPGO)Foram presos 11 suspeitos de crimes como falsidade ideológica, falsificação de documentos, estelionato e lavagem de dinheiro. Golpes podem ter gerado prejuízos de mais de R$ 2 milhões (Foto: SSPGO)

A Polícia Civil de Goiás (PCGO), em apoio a Polícia Civil do Distrito Federal, cumpriu na manhã desta quarta-feira (22/07) mandados de prisão temporária e de busca e apreensão no Estado, por meio da Operação Postulatio.

A ação teve como objetivo desarticular uma associação criminosa especializada em crimes de falsidade ideológica, falsificação de documentos, estelionato e lavagem de dinheiro.

As investigações, que começaram em outubro de 2019, apontaram que os suspeitos faziam uso de documentos falsos para se passar por titulares de um precatório (indenização paga pelo governo por meio de processos julgados pela Fazenda Pública). Depois disso, vendiam a terceiros, com desconto, este “direito” de receber do Estado. Os precatórios eram decorrentes de ações judiciais no Pará, Minas Gerais, Tocantins e Sergipe. As vítimas só passavam a ter conhecimento do golpe quando eram habilitadas no processo judicial.

Durante as diligências, 11 pessoas foram presas em Goiás e no DF.

Durante a operação, pelo menos um goianesiense foi preso por ser suspeito de ser integrante da quadrilha. Este mesmo suspeito foi preso em janeiro quando a Polícia Civil de Goianésia deflagrou na cidade a “Operação Ostentação".

Fonte: Secretataria da Segurança Pública

0
0
0
s2sdefault

Aulas em Goiás permanecem suspensas até o fim de agosto

As aulas na rede pública e privada só retornam em setembro. As aulas na rede pública e privada só retornam em setembro.

As aulas em Goiás só retornam no início de setembro. 

O Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus deliberou em manter as aulas presenciais no Estado suspensas até o final de agosto, com previsão de retorno a partir de setembro, de forma gradual e planejada.

A orientação sobre a possível data de volta às aulas será reavaliada na segunda quinzena do próximo mês, considerando a evolução da epidemia.

A decisão de prorrogar a suspensão das aulas presenciais se fundamentou no aumento de casos da Covid-19 no Estado, que ainda torna inseguro o retorno dos estudantes e professores, neste momento. M

Medidas sanitárias já adotadas em outros locais apontam para uma retomada segura a partir do momento em que o Estado apresente uma redução no registro de novos casos, mantendo essa tendência de queda por, no mínimo, duas semanas consecutivas. 

O assunto foi debatido na reunião da última quarta-feira, 22, e acompanhado por autoridades das redes pública e privada de educação, além de representantes do Conselho Estadual de Educação, sindicatos de profissionais, entre outros.

Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus


 
0
0
0
s2sdefault

Paulo Guedes entrega ao Congresso Nacional proposta de reforma tributaria

Paulo Guedes enviou ao Congresso, a proposta de reforma tributária. Paulo Guedes enviou ao Congresso, a proposta de reforma tributária.
Aa primeira parte da proposta do governo sobre a reforma tratará apenas da unificação de impostos federais e estaduais num futuro Imposto sobre Valor Agregado (IVA) dual. O texto do governo será unificado às propostas da Câmara e do Senado que tramitam na comissão mista desde o início do ano.
 
O IVA dual prevê a unificação de diversos tributos em dois impostos: um federal e outro regional. Em tese, tributos como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) poderiam ser unificados, mas o ministro explicou que, no nível federal, o IVA fundirá o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição sobre o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).
0
0
0
s2sdefault

Coincidência e contradição: Com discurso bem longe da prática, Deputado Humberto Teófilo cobra lisura de prefeituras

Deputado Humberto Teófilo (PSL): Flagrante nele!Deputado Humberto Teófilo (PSL): Flagrante nele!

Depois de fazer política em várias cidades do Estado, no início deste mês, na busca de votos para 2022, o deputado estadual Humberto Teófilo (PSL) esteve em Goianésia e anunciou apoio ao pré-candidato a prefeito, delegado Marco Antônio (PSDB).

Curiosamente, depois de sair "apoiando" pelo Estado candidatos contra prefeitos que estão em reeleição,  entrou na Justiça contra 33 municípios esta semana, entre eles Goianésia, pedindo informações sobre as despesas efetuadas com a pandemia do novo coronavírus.

O deputado Humberto Teófilo teve 51 votos em Goianésia na sua eleição. Não representa o Município. Está na sua função de fiscalizar, mas causou-nos estranheza a sua '"preocupação" com a cidade e a sua contradição em preocupar com a lisura da gestão pública, uma vez que o seu discurso não se alinha com a prática da sua vida nem de sua família. 

Em reportagem veiculada no Diário da Manhã do dia 03/07, a mãe do deputado foi identificada como beneficiária do auxílio emergencial da Covid-19, que repassa mensalmente R$ 600 às pessoas em situação de vulnerabilidade. Na consulta ao site da Caixa Econômica, Adriana Batista de Menezes teve seu benefício aprovado, após a abertura do processo, ocorrido no dia 23 de abril e já teria recebido duas parcelas do auxílio.

O pai do deputado e ex-vereador, Amarildo Pereira foi acusado pelo Ministério Público, no último mês, pelo crime de corrupção quando era Presidente da Câmera Municipal de Goiânia. Se condenado terá de devolver aos cofres públicos R$ 1,87 milhão. 

Outra investigação noticiada na reportagem do Diário da Manhã,  envolvendo a família de Teófilo, diz respeito ao uso de cartões clonados na Bahia por Rodrigo de Menezes Machado, irmão do deputado. O crime foi cometido para pagar despesas em Arraial d’Ajuda e Salvador.

O deputado e delegado da Polícia Civil de Goiás foi eleito através de seu discurso na área de segurança pública e no “jogo duro contra bandidos”. Na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) ele é conhecido pelo bordão “Flagrante neles!”, contudo seu histórico familiar está bem contraditório.

Faze politicagem em tempos de pandemia é definitivamente desnecessário. Ainda bem que existe a imprensa séria e comprometida para dar um 'flagrante nele". 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault

Governo proíbe queimadas por 120 dias

Estão proibidas as queimadas no Brasil por 120 dias. Estão proibidas as queimadas no Brasil por 120 dias.

O governo federal proibiu queimadas em todo o Brasil por 120 dias. O decreto foi publicado na edição desta 5ª feira (16.jul.2020) do DOU (Diário Oficial da União).

O texto prevê que populações tradicionais e indígenas possam continuar usando fogo em práticas agrícolas de subsistência. As atividades de controle fitossanitário, desde que autorizadas pelo órgão ambiental competente, também podem ser realizadas.

Estão autorizadas também as queimas controladas em áreas não localizadas na Amazônia Legal e no Pantanal, desde que sejam autorizadas pelo órgão ambiental estadual e consideradas imprescindíveis à realização de práticas agrícolas.

0
0
0
s2sdefault
© 2020 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados