Sem torcida, Goianésia empata sem gols em casa diante do Crac

De portões fechados, Goianésia e Crac ficaram no zero a zero. (foto: Ádria Lima)

Jogando de portões fechados, devido às medidas protetivas determinadas pelo Governo do Estado contra o coronavírus, o Goianésia empatou sem gols diante do Crac, de Catalão, na tarde desse domingo (15). 

O Azulão permanece na 4ª posição na tabela, com 15 pontos.

Na próxima rodada, enfrenta o Grêmio Anápolis, no Jonas Duarte, dia 21/03. 

 

0
0
0
s2sdefault

Prefeitura de Goiânia lança concurso com 1.531 vagas

Reside ou pretende residir em Goiânia e está em busca de trabalho? Então fique atento, pois o edital do concurso  da Prefeitura Municipal de Goiânia já foi lançado e as inscrições começam no dia 19/03. 

Vagas para ensino fundamental.

Agente de Serviços Operacionais, Agente de Apoio Administrativo, Agente de Apoio Educacional, Artífice de Manutenção Mecânica (Mecânico Industrial/Soldador/Torneiro Mecânico) e Artífice de Serviços e Obras Públicas (Carpinteiro/Marceneiro, Eletricista, Encanador, Pedreiro, Pintor e Serralheiro). Os vencimentos oscilam de R$ 1.075,49 a R$ 1.202,03.

Vagas para o ensino médio ou técnico profissionalizante

Agente Comunitário de Saúde, Agente de Combate às Endemias, Auxiliar em Saúde/Maqueiro, Assistente Administrativo (Administrativo e Técnico em Segurança do Trabalho), Assistente Administrativo Educacional, Assistente de Atividades Culturais e Desportivas, Auxiliar de Atividades Educativas, Auxiliar em Saúde (exceto Maqueiro), Educador Social e Técnico em Saúde (Técnico de Imobilização Ortopédica, Técnico de Laboratório, Técnico em Necrópsia, Técnico em Radiologia, Técnico de Enfermagem do Trabalho, Técnico de Enfermagem Geral, Técnico de Enfermagem – Intervencionista). Os vencimentos variam de R$ 1.075,49 a R$ 1.400,00:

Vagas para o ensino superior cujos vencimentos irão variar de R$ 2.723,78 a R$ 3.452,93, o certame oferece as seguintes colocações:

  • Analista em Assuntos Sociais (Assistente Social, Pedagogo e Psicólogo);
  • Analista em Comunicação Social (Jornalismo);
  • Analista em Cultura e Desportos (Educação Física);
  • Analista em Obras e Urbanismo (Arquiteto, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Tecnólogo em Construção de Edifícios e Tecnólogo em Construção de Vias Terrestres);
  • Analista em Organização e Finanças (Ciências da Computação/Engenheiro da Computação);
  • Especialista em Saúde (Arteterapeuta, Assistente Social, Biólogo, Biomédico, Cirurgião Dentista – Bucomaxilo, Cirurgião Dentista – Clínico Geral, Cirurgião Dentista – Endodontista, Cirurgião Dentista – Odontólogo para pacientes com necessidades especiais, Cirurgião Dentista – Odontopediatra, Cirurgião Dentista – Periodontista, Cirurgião Dentista – Prótese Dentária, Educador Físico, Enfermeiro do Trabalho, Enfermeiro Geral, Enfermeiro Intensivista em Neonatologia e/ou Pediatria, Enfermeiro Intervencionista, Enfermeiro Neonatologista, Enfermeiro Obstetra, Enfermeiro Psiquiatra, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Fonoaudiólogo, Musicoterapeuta, Nutricionista, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional e Veterinário); e
  • Profissional de Educação II (Artes, Ciências, Educação Física, Geografia, História, Inglês, Intérprete de Libras, Matemática, Pedagogia e Português). 

Além dessas, vale ressaltar que há vagas na área Médica distribuídas entre as funções de: Alergista, Auditor, Cardiologista, Cirurgião Geral, Cirurgião Vascular, Clínico Geral/Generalista, Coloproctologista, Dermatologista, Endocrinologista, Gastroenterologista, Geriatra, Ginecologista/Obstetra, Hematologista, Infectologista, Mastologista, Médico do Trabalho, Nefrologista, Neurologista, Oftalmologista, Oncologista, Ortopedista/Traumatologista, Otorrinolaringologista, Patologista, Pediatra, Perito, Pneumologista, Psiquiatra, Radiologista, Regulador, Reumatologista, Sanitarista, Ultrassonografista e Urologista. 

Os vencimentos irão variar de R$ 2.723,78 a R$ 3.452,93

Acesse a página da instituição organizadora para maiores informações.

0
0
0
s2sdefault

Em 24 horas sobe de 22 para 85 número de casos suspeitos de coronavírus

O número de casos suspeitos de coronavírus em Goiás subiu de 22 para 85 nas últimas 24 horas. A informação foi confirmada pelo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado na tarde deste domingo, 15. Os casos confirmados ainda permanecem em quatro.

Todos os casos suspeitos em investigação no estado já tiveram amostras coletadas para a realização de exame. Outros 49 suspeitos foram descartados.

São três casos de COVID-19 confirmados em Goiânia e um em Rio Verde. A última confirmação foi no último sábado. O paciente se contaminou em viagem ao exterior em companhia da esposa que já havia sido diagnosticada.

Ainda não houve registros de contaminação local e nem comunitária em Goiás. Na última quinta-feira, 12, o governador Ronaldo Caiado (DEM) assinou decreto que institui emergência em saúde no estado. Além disso suspendeu grandes eventos e as aulas para escolas públicas e particulares.

Fonte> Jornal Opção

0
0
0
s2sdefault

Fabricação e venda de produtos derivados da cannabis entram em vigor

Brasília - Entrou em vigor nessa terça-feira (10) a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamenta a fabricação, importação e comercialização de produtos derivados da cannabis para fins medicinais. A norma foi aprovada em dezembro do ano passado.
 
O produto estará disponível somente em farmácias sem manipulação e em drogarias. Para a compra, o paciente deverá ter uma receita fornecida exclusivamente por um médico. Os produtos devem ter teor de THC de até 0,2%. Acima desse patamar, o uso só poderá ser prescrito a pacientes terminais que tenham esgotado outras formas de tratamento visando a cuidados paliativos.
 
A entrada no mercado só poderá ocorrer mediante autorização da agência, que avaliará os pleitos de laboratórios e empresas com vistas à atuação nessa área e fornecerá uma autorização sanitária, e não um registro, permitindo a oferta.
 
Cannabis é um elemento encontrado nas plantas de maconha. Os produtos derivados não serão considerados medicamentos, mas uma categoria específica. A resolução da Anvisa abriu perspectivas de comercialização dessas substâncias, demandadas para o tratamento de doenças neurológicas diversas, da dor crônica ao parkinson.
 
Elas não são consideradas medicamentos porque, segundo a Anvisa, “não há dados suficientes para a comprovação da segurança, eficácia e qualidade da maior parte dos produtos obtidos”. Por isso, a liberação se deu levando em consideração informações sobre o emprego desses elementos em tratamentos em outros países, como Alemanha, Estados Unidos, Canadá e Israel.
 
O uso de medicamentos derivados de cannabis já pode ser solicitado à Anvisa desde 2016, mas a análise se dá caso a caso e demanda a aquisição de um produto no exterior, o que encarecia o acesso a esse tipo de terapia. Na resolução que entra em vigor hoje, a agência diferencia os produtos dos medicamentos à base de cannabis.
 
Exigências
A autorização sanitária será fornecida apenas para substâncias de aplicação pelas vias nasal e oral. Não cabem aí, por exemplo, aquelas de consumo sublingual ou por inalação.
 
A resolução veda a comercialização do que chama de “forma de droga vegetal da planta ou suas partes, mesmo após processo de estabilização e secagem, ou na sua forma rasurada, triturada ou pulverizada, ainda que disponibilizada em qualquer forma farmacêutica”. Também são proibidos cosméticos, cigarros e outros fumígenos e alimentos à base de cannabis.
 
Para solicitar, a empresa deve ter autorização de funcionamento da Anvisa, podendo ser nacional ou internacional. Em caso de importação, será necessário comprovar que o produto é legalizado no país de origem, com documento da autoridade competente local.
 
Firmas nacionais ficam impedidas de promover o cultivo no Brasil, podendo, em vez disso, trazer de fora matéria-prima semielaborada para a fabricação dos produtos processados no país.
 
Para integrante da Comissão de Assuntos Regulatórios da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e ex-integrante do Conselho Nacional de Drogas Rodrigo Mesquita, a nova regulação consolida o valor medicinal da cannabis, amplia as possibilidades de acesso por parte dos pacientes e permite que empresas explorem esse mercado no país.
 
Contudo, o impedimento do cultivo no Brasil dificulta o desenvolvimento de uma indústria nacional e de pesquisas com a cannabis, além de influenciar os custos, uma vez que demanda a importação doe insumos. “Isso terá impactos bastante perceptíveis no preço, pois os extratos brutos deverão ser importados para então serem fabricados aqui. Fica uma cadeia produtiva limitada e dependente de outros mercados, o que afeta o preço final e o acesso”, comenta. (Agência Brasil)
0
0
0
s2sdefault

Casos suspeitos de coronavírus em Goiás sobem para 17

Goiânia - O número de casos suspeitos de coronavírus em Goiás subiu de 14 para 17, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no final da tarde desta quarta-feira (11/3).  Outros 28 casos já foram descartados no Estado. 

No Brasil,  o número de casos confirmados de coronavírus no chegou a 52. O novo balanço marca um pulo de 15 casos em relação ao divulgado mais cedo, quando o sistema da pasta havia contabilizado 37 casos.
 
No panorama global, o número de casos continua subindo. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, que monitora o novo coronavírus em parceria com institutos e ministérios de saúde de diversos países, 121.564 pessoas foram diagnosticadas com Covid-19. 
 
Pandemia 
A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu declarar o coronavírus uma pandemia, termo utilizado quando o estágio de transmissão de uma doença é global. "Estamos profundamente preocupados com os alarmantes níveis de disseminação e severidade, e de falta de ação", disse o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.
0
0
0
s2sdefault

Projeto de lei quer proibir sacolas plásticas no estado de Goiás

Um Projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa quer proibir a comercialização de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais de Goiás.

O deputado estadual, Henrique Arantes (MDB), é o autor do Projeto. o texto da matéria prevê que as empresas deverão se adequar num prazo máximo de 12 meses após a publicação da lei, caso ela seja aprovada em dois turnos e sancionada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM).

O artigo 2º prevê que a desobediência implicará ao infrator em notificação prestada pelos órgãos ambientais competentes e, em caso de reincidência, será aplicada multa de 2 a 50 salários mínimos, respeitada a capacidade financeira do infrator, podendo até mesmo haver suspensão do alvará de funcionamento do estabelecimento.

A arrecadação prevista na matéria será totalmente revertida ao Fundo Estadual da Defesa do Meio Ambiente.

 Confira o projeto de Lei, clicando aqui:

Deputado Henrique Arantes, autor do Projeto que pode por fim às sacolinhas plásticas em Goiás.

0
0
0
s2sdefault
© 2020 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados