Enzo Gabriel lidera pelo segundo ano a lista de nomes mais escolhidos

(FOTO: ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL)
Brasília - Enzo Gabriel foi o nome mais registrado nos cartórios brasileiros em 2019. Segundo levantamento divulgado pelo Portal de Transparência do Registro Civil , outros dois nomes compostos, João Miguel e Maria Eduarda, aparecem em segundo e terceiro lugar, respectivamente. A lista é baseada nos 4.472.331 registros de nascimento emitidos até o dia 19 de dezembro. 
 
Entre os 10 nomes que lideram o ranking de 2019, apenas Miguel, na oitava, e Arthur, na décima posição, não são compostos. Outra curiosidade do levantamento vem da Região Sul, única em que o nome líder no país não aparece entre os dois mais escolhidos, mas fica em quinto lugar. Entre os sulistas, Miguel, Arthur e Helena foram os preferidos este ano.
 
Confira os 50 nomes mais escolhidos em 2019. (Agência Brasil)
0
0
0
s2sdefault

FIEG publica revista destacando o enterro dos investimentos e empregos em Goiás

A edição de dezembro da revista da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg) trouxe como destaque um alerta ao governo de Goiás sobre o projeto de Lei que  cria o ProGoiás em substituição aos atuais modelos dos programas Fomentar e Produzir.  A publicação é uma forma do setor produtivo reforçar a necessidade e importância da manutenção dos incentivos fiscais.

Com capa preta e a palavra luto estampada em letras garrafais, a revista destaca que a Secretaria da Economia não só insiste na prorrogação por prazo indeterminado do aumento para 15% da contribuição ao Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás, "como ainda decidiu incluir uma contribuição adicional de 1,5% a ser cobrada das indústrias beneficiadas pelos programas Fomentar e Produzir". 
 
A publicação enfatiza que as mudanças propostas pelo governador Ronaldo Caiado vão resultar em uma série de demissões e impossobilitarão novos investimentos em Goiás. 
 
No último dia 16, o presidente da entidade, Sandro Mabel, publicou nota contra as declarações do governador Ronaldo Caiado e em resposta à crise entre Governo e empresariado, desde o início da atual gestão do Estado. 
 
0
0
0
s2sdefault

Fim de ano: PRF intensifica fiscalização nas BRs que cortam Goiás

Goiânia - De olho nas festas de fim de ano, a Polícia Rodoviária Federal começou nesta sexta-feira (20/12) o reforço na fiscalização em pontos estratégicos das rodovias federais que cortam Goiás. Nas vésperas dos feriados de Natal e ano novo, é normal que o movimento nas estradas se intensifique. Por isso, a PRF planeja ações voltadas para prevenir acidentes e, principalmente, coibir a condução de veículos sob efeito de álcool.
 
O mês de dezembro é característico por ser período de férias, marcado por viagens de lazer, em família ou entre amigos, causando aumento no fluxo de veículos nas rodovias que ligam os quatro cantos do país. O período costuma ser chuvoso na região centro-oeste e a pista molhada, com movimento intenso, requer atenção redobrada por parte dos condutores
 
A verificação dos itens obrigatórios do veículo é o primeiro cuidado que o motorista deve ter para viajar em segurança. Pneus em bom estado de conservação, freios, sistema de iluminação, limpadores de para-brisas e cintos de segurança em perfeito funcionamento, dispositivo adequado para transporte de crianças, faróis ligados mesmo durante o dia e ocupação máxima do veículo respeitada são alguns dos itens que não podem ser negligenciados por quem vai pegar a estrada.
 
Na direção do veículo, a atenção à sinalização e a direção defensiva são essenciais para garantir um bom passeio. A PRF reforça o alerta de respeito às indicações de proibição de ultrapassagens, a importância de se manter uma distância segura do veículo que segue na frente e de reduzir a velocidade sob pista molhada. Com 49 novos aparelhos de etilômetro reforçando o aparato de fiscalização, a PRF vai intensificar os testes de alcoolemia, com tolerância zero à embriaguez ao volante.
 
No ano passado, considerando o período da sexta feira que antecede o natal  (21/12) até o dia 1º de janeiro de 2019, a PRF registrou 84 acidentes que resultaram no ferimento de 95 pessoas e causaram 10 mortes nas rodovias federais em Goiás. Os policiais rodoviários federais flagraram mais de 7 mil infrações de trânsito nesses 12 dias, sendo que 151 motoristas estavam dirigindo sob efeito de álcool, 483 ultrapassaram em locais indevidos, 67 transportavam crianças fora da cadeirinha, 525 não utilizavam cinto de segurança. Oitenta e nove pessoas foram detidas nas Brs goianas por cometerem algum tipo de crime no último fim de ano.
 
Fonte: A Redação
0
0
0
s2sdefault

Servidores públicos protestam contra medidas do Governo Estadual

(FOTO: CARLOS COSTA)

Goiânia - Professores, policiais civis e outros servidores públicos estaduais ocuparam, na tarde desta quarta-feira (18/12), a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego).

O ato, segundo os servidores, foi uma forma de pressionar os parlamentares a não aprovarem o pacote de propostas do Executivo estadual. 

Apesar da manifestação, que resultou, inclusive, na proibição do acesso da imprensa na Assembleia depois das 16h, as reformas do Estatuto do Servidor Público, do Magistério e a PEC 6418/19, que altera o regime da previdência estadual, foram aprovadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). 

Em sequência, houve pedido de vista coletivo para avaliar a PEC já no Plenário. Após o pedido, a segunda sessão extraordinária do dia foi encerrada pelo deputado Humberto Aidar (MDB). 

O pacote de propostas do Governo Caiado retira vários benefícios do servidores estaduais, como o quinquênio e licença prêmio, além de aumentar a alíquota previdenciária e o tempo de serviço. 

0
0
0
s2sdefault

Goianésia Esporte Clube lança o Programa Sócio Torcedor

A diretoria do Goianésia Esporte Clube lançou na última quarta-feira (18), o Programa Sócio Torcedor. Para ajudar o Azulão, o torcedor vai desembolsar 1 salário mínimo, que pode ser dividido em até 4 vezes no cartão ou cheque. 

O associado contará com os seguintes benefícios: entrada em todos os jogos disputados em Goianésia, direito a levar 1 convidado, área coberta, bebida mais barata, estacionamento.

Além dos seguintes brindes: camisa oficial e boné. 

Mais informações e adesões estão sendo feitas pelo telefone 98413-5456, com Leandro. 

 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault

Ministério Público solicita bloqueio de R$ 1 bilhão de Marconi e empresas de acúcar e álcool em Goiás beneficiadas

Na ação, o MP afirma que o ex-governador "se portou como um administrador absolutamente irresponsável”.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) solicitou o bloqueio de R$ 1 bilhão do ex-governador de Goiás Marconi Perillo e de empresas do setor sucroalcooleiro que foram beneficiadas. O bloqueio é decorrente de ação civil pública para garantir eventual ressarcimento do prejuízo aos cofres públicos. Desta vez, por irregularidades na concessão de renúncia fiscal.  Ao todo, 24 ações contra o político foram propostas pela promotora Villis Marra, em substituição na 57ª Promotoria de Justiça de Goiânia.

Conforme divulgado pelo MP, as empresas são: Brenco Companhia Brasileira de Energia Renovável (atualmente em recuperação judicial), São Martinho S.A., BP Bioenergia Tropical S.A., SJC Bioenergia Ltda (Quirinópolis e Cachoeira Dourada), Cambuí Açúcar e Álcool Ltda., Rio Claro Agroindustrial S.A., Jalles Machado S.A., Goiasa Goiatuba Álcool Ltda., Floresta S/A Açúcar e Álcool, Vale do Verdão S/A Açúcar e Álcool, Usina Panorama S.A., Cooperativa Agroindustrial Rubiataba Ltda., Usina Nova Gália Ltda., CRV Industrial Ltda., Vale Verde Empreendimentos Agrícolas Ltda (em recuperação judicial), BP Bioenergia Itumbiara S.A., Anicuns S.A. Álcool e Derivados (em recuperação judicial), Energética Serranópolis Ltda., Denusa Destilaria Nova União S.A. (em recuperação judicial), Uruaçu Açúcar e Álcool Ltda., Usina Goianésia S.A., Usina Serra do Caiapó S.A., Usina São Paulo Energia e Etanol S.A.

Segundo apontado, no ano de 2012,  Perillo encaminhou à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) projeto de lei para alterar a redação do artigo 3º da Lei 13.246/1981, autorizando o chefe do Poder Executivo a conceder crédito outorgado de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos industriais do setor alcooleiro enquadrados no programa Fomentar e Produzir. O percentual a ser estabelecido em regulamento poderia ter como limite máximo de 60% sobre o saldo devedor do valor que seria obtido, caso a responsabilidade pelo imposto nas operações com álcool anidro fosse do industrial.

Após tramitação e aprovação da Alego, o projeto de lei foi encaminhado e sancionado, dando origem à Lei nº 17.640, de 21 de maio de 2012. Ocorre que, na ocasião, o então governador descumpriu, segundo sustenta a promotora, o artigo 14 da Lei Complementar Federal nº 101, de 4 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal), pois o projeto de lei não atendeu aos requisitos legais exigidos para concessão de benefícios fiscais.

Conforme apontado, sequer foi apresentado o valor total da renúncia fiscal, tampouco qual seria o impacto orçamentário-financeiro do benefício para os anos de 2012, 2013 e 2014. Também não se comprovou que o benefício fiscal previsto no projeto que resultou na Lei nº 17.640/2012 estava em conformidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012. 

“Nenhum mísero cálculo sobre adequação com a lei orçamentária acompanhou o citado projeto de lei”, sustentou a promotora, acrescentando que, além disso, Perillo não indicou quais medidas (aumento de receita, elevação de alíquotas, criação de tributos etc.) seriam tomadas para compensar a renúncia de receita levada a efeito pela Lei Estadual 17.640/2012, “o que demonstra que Marconi se portou como um administrador absolutamente irresponsável”.

Com Informaçãoes do MP-GO

0
0
0
s2sdefault
© 2020 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados