apple
São Paulo - A Apple revelou nesta terça-feira (12/9) o lançamento de três novos modelos de iPhone, entre eles o esperado iPhone X, criado para marcar os dez anos do lançamento do icônico smartphone da Apple. O novo smartphone tem tela de 5,8 polegadas, um pouco maior que a do iPhone 8 Plus, mas com design quase sem bordas, que faz a imagem ocupar a área frontal do dispositivo quase que completamente. Além disso, o botão Home, que permite voltar para a tela inicial do dispositivo, desapareceu no novo modelo. O iPhone X vai custar US$ 999, elevando a barra de preços dos smartphones premium, e chegará às lojas dos Estados Unidos em 3 de novembro.
"Esse smartphone vai determinar os próximos 10 anos da indústria", afirmou o presidente executivo da Apple,
Tim Cook, ao anunciar o iPhone X. O smartphone foi anunciado logo após a revelação do iPhone 8 e iPhone 8 Plus no evento, quando Cook soltou a famosa frase "One more thing" (Mais uma coisa, em inglês), que o cofundador da Apple tornou famosa em eventos de lançamento da marca ao apresentar lançamentos especiais.
O design do iPhone X tem um ar nostálgico, com bordas arredondadas e cromadas, que lembram a primeira geração do iPhone, anunciada pelo cofundador da Apple, Steve Jobs, em 2007. Tanto a tela como a parte traseira do smartphone são recobertas por vidro ultraresistente. Confirmando os rumores, trata-se do primeiro iPhone a vir com tela de OLED (diodo emissor de luz orgânico, na sigla em inglês) e é o smartphone da Apple com maior resolução da imagem já lançado (2.436 x 1.135 linhas de pixels). A tecnologia é chamada pela fabricante de Super Retina Display.
Na parte interna, o smartphone traz o processador A10 Bionic, com dois núcleos de processador e uma nova tecnologia de aprendizado de máquina embutida no chip (neural engine). Ela será necessária, por exemplo, para processar imagens do novo recurso de reconhecimento facial do iPhone, chamado de FaceID. Com a ajuda de um conjunto de sensores e da câmera frontal do dispositivo, o usuário poderá desbloquear a tela do smartphone apenas olhando para ela -- será possível, também, desbloquear a tela com apenas um toque na tela, caso o usuário não queira usar a nova tecnologia.
A tecnologia de reconhecimento facial funciona mesmo no escuro. Além disso, o processamento das informações coletadas pela câmera e pelos sensores será feito no smartphone, sem enviar informações de imagem do usuário para um servidor. De acordo com a Apple, isso garante a privacidade dos dados dos usuários. O smartphone chega com a nova versão do sistema operacional iOS 11. Ele possui proteção á prova d'água e poeira e estará disponível apenas em preto e cinza -- não há opção em dourado.
iPhone 8 e iPhone 8 Plus
Além do esperado iPhone X, a Apple também anunciou os novos iPhone 8 e iPhone 8 Plus, o que representa pela primeira vez que a companhia "pulou" a versão S do smartphone, que trazia melhorias apenas incrementais, desde o lançamento do iPhone 3GS. Os novos modelos trazem basicamente o mesmo design da versão 7, mas agora são feitos em alumínio e cobertos com um vidro resistente tanto na parte frontal, como na traseira. Além de mais resistentes, os novos smartphones também são mais potentes: a Apple abandonou o processador de dois núcleos e saltou para o chip A10 Bionic, que vem com seis núcleos de processamento.
Os novos smartphones também vem com o processador A10 Fusion, mas com seis núcleos -- desde que a Apple adotou um chip de dois núcleos, é a primeira vez que ela amplia o número de núcleos do chip. Segundo ela, isso fará com que os smartphones sejam 70% mais rápidos que o iPhone 7 e iPhone 7 Plus, atualmente no mercado, mas mais eficientes em termos de consumo de energia. Na prática, a empresa está tentando convencer os usuários de que os novos modelos terão uma bateria com maior duração que as versões anteriores, mas é preciso esperar os primeiros testes para confirmar a efetividade.
A câmera frontal dos dois dispositivos fotografa com resolução de 12 megapixels e ganhou estabilização óptica. Além disso, o iPhone 8 Plus ganhou novos sensores e oferece abertura de lente de f/1.8 e f/2.8. A câmera dupla do iPhone 8 Plus traz um novo recurso que permite ajustar a luminosidade do rosto em retratos. (Agência Estado)
0
0
0
s2sdefault

 Image00006Loja das Tintas recebeu os clientes no sábado para uma café da manhã.

A Loja da Tintas em parceria com a Tintas Suvinil, realizou no sábado, 2 um café da manhá com clientes, profissionais da pintura e construtores, na Loja 3,  para trazer dicas de pintura, sortear brindes e fortalecer a marca da empresa na Região. 

Confira no OpiniãoTV:

 

 

0
0
0
s2sdefault

Codemin Vista geral Foto Charlie Fawell 2Vista geral da Codemin em Niquelândia. (foto: Charlie Fawel).A Codemin, operação da Anglo American para produção de níquel, está completando 35 anos em Niquelândia, região norte de Goiás. Com tantos anos de história, a empresa está inserida na vida da comunidade por meio de projetos sociais e ambientais que contribuem para o desenvolvimento da região e de sua gente. A operação da empresa no município gera atualmente quase 700 postos de trabalho, dos quais 80% são ocupados por mão de obra local.


Somente em 2016, a produção de 9 mil toneladas níquel gerou quase R$ 1,1 milhão em impostos. Com a produção estabilizada atualmente, a Codemin teve importante contribuição para o processo de consolidação das operações de níquel da Anglo American no estado de Goiás. Além da Codemin, a empresa está presente também na vizinha Barro Alto, que fica a cerca de 100 quilômetros a sudoeste de Niquelândia. Juntas, as duas operações responderam por uma produção de 44.500 toneladas de ferroníquel no ano passado. Para 2017, a expectativa de produção permanece entre 43 e 45 mil toneladas.

Mais de três décadas de atuação em Niquelândia contribuíram para fortalecer a presença da Codemin na região, assim como seu envolvimento com a comunidade. Uma das maneiras de uma empresa contribuir para o desenvolvimento de uma região é por meio do volume de riquezas geradas e de impostos pagos à prefeitura e governos estadual e federal. Somente de 2012 até 2016, a Codemin já teve recolhidos R$ 61,9 milhões em impostos, tributos e contribuições. O Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), por exemplo, que é estadual, responde sozinho por mais de 90% de toda a contribuição da empresa nesse mesmo período.

Histórico
Com investimento de US$ 100 milhões, a Codemin começou a ser construída em 1979. O projeto contou com apoio dos governos federal, estadual e municipal, de órgãos internacionais, organizações não-governamentais e da comunidade de Niquelândia. Em agosto de 1982, foi produzido o primeiro metal na linha 1. A segunda linha de produção entrou em funcionamento em maio do ano seguinte. O projeto Niquelândia figurou, na época de sua implantação, como um dos maiores empreendimentos de Goiás, criando empregos e anunciando maior desenvolvimento e geração de renda.

Ainda no início dos anos 80, nos primeiros anos de Codemin, a construção de uma planta industrial para processar o minério que está no nome da cidade atraiu uma série de melhorias para a região. Foi necessária a construção de pontes, estradas e uma linha de transmissão de energia elétrica de cerca de 275 km, de Brasília até Niquelândia.

Sesi/Senai
Atualmente, a Codemin conta com 430 empregados próprios mais 250 terceirizados. Mais de 80% da mão de obra é formada por profissionais da região. Além das oportunidades profissionais, a instalação da empresa na cidade trouxe também novas chances de qualificação para os moradores locais. Na época da implantação da operação em Niquelândia, a busca pela mão de obra técnica foi um grande desafio. Como havia pouca mão de obra especializada na área de Niquelândia, muitos empregados tiveram que vir de outras regiões, inclusive de Minas Gerais.

A melhoria significativa na capacitação e profissionalização da mão de obra local veio com a implantação do Serviço Social da Indústria (Sesi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em 2006, fruto de uma parceria entre a Anglo American e a Prefeitura de Niquelândia.

Presente na vida da comunidade
Além da geração de emprego e arrecadação de impostos, as ações com o foco no social e no ambiental da Codemin também contribuem para o desenvolvimento de Niquelândia.

Abaixo, você conhece algumas delas:

Atletismo do Futuro: apoiado pela Anglo American desde 2014, quando a empresa construiu a sede da Associação dos Corredores de Niquelândia e a pista de atletismo. Mais de 200 atletas já passaram pelo projeto. A partir desse ano, o investimento da empresa passou a ter o foco em atletas de alto rendimento. Atualmente, 35 atletas fazem parte do projeto, sendo que 20 deles estão na categoria Sub-20 de alto rendimento. Um dos destaques da nova fase do projeto é o atleta Weverson Silva, que conquistou o bronze na prova dos 10 mil metros no Campeonato Brasileiro de Atletismo Sub-20 desse ano. Com esse resultado, Weverson fará parte da cota de bolsistas do Governo Federal para atletas em destaque.

Sinfonia do Cerrado: O projeto existe há mais de dez anos em Niquelândia e foi criado com a finalidade de ensinar música clássica erudita por meio de instrumentos como o violão e o cavaquinho. A iniciativa beneficia crianças e adolescentes de baixa renda e de escolas públicas municipais e estaduais. Mais de 150 alunos participarão das aulas em 2017.

Atletas do Futuro: Desde 2009, o projeto é realizado em parceria com o Sesi/Senai de Niquelândia com foco no incentivo à prática de futsal, futebol e natação entre crianças e adolescentes. Mais de 300 alunos serão contemplados em 2017.

Projeto Roda Solidária: Visando à inserção social da pessoa com deficiência por meio da prática do basquetebol em cadeiras de rodas, a iniciativa apoia mais de 30 jogadores em treinos e jogos no Estado de Goiás em 2017.

Projeto Florescendo Mel e Cidadania no Cerrado: Conduzido pela Cooperativa dos Apicultores Familiares de Niquelândia e Região (Cooperapis), o objetivo do programa é fortalecer a apicultura familiar em Niquelândia, Barro Alto e Santa Rita do Novo Destino, por meio de uma unidade de entreposto e beneficiamento de mel.

Curiosidade: mais de 280 anos de história em Niquelândia
Antes de ser batizado como Niquelândia, durante mais de dois séculos o povoado, fundado em 1755, chamou-se São José do Tocantins. Somente no século passado, o geólogo alemão Helmuth Brockes conseguiu comprovar a existência de níquel na região. A descoberta fez com que a vila crescesse em população e riqueza. Em homenagem ao minério, São José do Tocantins passou a se chamar Niquelândia em 1938.

Sobre a Anglo American
O Grupo Anglo American está presente no Brasil com a produção de níquel e minério de ferro, negócios que foram integrados em uma estrutura única em 2017. Com as operações de Barro Alto e Codemin, localizadas nas cidades de Barro Alto e Niquelândia (GO), produzimos ferroníquel. Por meio de um sistema integrado de logística, no Minas-Rio, produzimos minério de ferro a partir da mina e da usina localizadas em Alvorada de Minas e Conceição do Mato Dentro (MG). O minério é transportado por mineroduto até o terminal de minério de ferro do Porto de Açu, em São João da Barra (RJ), empreendimento que tem 50% de participação da Anglo American. Atualmente, o Minas-Rio está em processo de licenciamento ambiental da Etapa 3, que permitirá à empresa alcançar a produção de 26,5 milhões de toneladas por ano.

A companhia conta com 3,3 mil empregados próprios no Brasil e outros 4 mil terceirizados. Juntos, eles formam uma força de trabalho que utiliza tecnologia de ponta para encontrar novos recursos, planejar e operar as minas. Esses profissionais também mineram, processam, transportam e comercializam os produtos para nossos clientes ao redor do mundo.

A Anglo American é uma mineradora global diversificada. Nosso portfólio tem alta competitividade e os recursos em desenvolvimento fornecem as matérias-primas para atender às crescentes demandas voltadas para o consumidor das economias desenvolvidas e em fase de desenvolvimento

Como uma mineradora responsável, que tem em seu portfólio - diamantes (De Beers), cobre, platina e outros metais preciosos, além de, minério de ferro, carvão e níquel, somos guardiães de recursos naturais valiosos. Trabalhamos em conjunto com nossos parceiros e públicos de relacionamento para trazer valor de longo prazo para acionistas e também para os países onde operamos, gerando valor sustentável e fazendo a diferença real.

0
0
0
s2sdefault

Construção de praça esportiva no Bairro Jardim Esperança segue em ritmo aceleradoJardim Esperança terá nova praça: mais qualidade de vida para a população.

A construção da praça esportiva no Bairro Jardim Esperança segue em ritmo acelerado, a Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA), tem trabalhado constantemente para que a obra seja finalizada o mais rápido possível.

De acordo com secretário, Fabiano Lopes, a obra está sendo finalizada, e em breve, será entregue para os moradores do bairro.

No local, já foram utilizados, cerca de 500 caminhões de terra, de acordo com Fabiano, mais 200 caminhões ainda serão aplicados na área. Assim que o serviço de terraplanagem for concluído, a empresa deve iniciar as construções.

A obra começou em 2016, porém, não foi finalizada pela antiga administração. A gestão de Renato de Castro tem trabalhado com afinco, para que a obra seja finalizada até o final deste ano.

“A secretaria está empenhada na construção desta praça, pois, aquela região, precisa de um lugar para a prática de esportes. Além de melhorar a qualidade de vida e o lazer daquela comunidade. Certamente as crianças e jovens poderão se divertir com tranquilidade”, salientou Fabiano Lopes.

0
0
0
s2sdefault

francisco

Está em tramitação, na Assembleia Legislativa de Goiás, um projeto de lei de autoria do deputado estadual Francisco Júnior (PSD) que torna obrigatória a presença de psicólogo escolar nas redes públicas de ensino fundamental e médio.

Segundo o projeto, o psicólogo escolar terá a função de atuar junto aos alunos, professores, direção e famílias com objetivo do desenvolvimento dos estudantes, das relações professor-aluno e aumento da qualidade e eficiência do processo educacional.

“Atualmente as escolas registram elevados índices de violência, com a ocorrência de tragédias, sendo necessário adotar medidas preventivas que envolvam toda a estrutura educacional", disse o deputado.

Francisco Jr considera ainda que a atuação do psicólogo deve considerar não apenas os aspectos individuais dos alunos, mas também os aspectos do corpo docente, auxiliando no dia a dia da escola, por enfrentarem diversas dificuldades e muitas vezes não terem nenhum suporte para resolver essas situações.

Após o projeto aprovado, deve ser definido por regulamentação própria a quantidade de alunos por psicólogo, nas respectivas redes de ensino.

Fonte: A Redação

0
0
0
s2sdefault