Amador 2019: Los Pankas /OpiniãoTV vence Intercana e está na semi-final

A equipe do Los Pankas/OpiniãoTV venceu e está na semi-final do Amador 2019.

A equipe do Los Pankas/OpiniãoTV venceu o time da Intercana por 1 X 0, jogando na noite dessa sexta, 04, no Estádio Valdeir José de Oliveira. Com a vitória, o time garantiu a vaga na semi-final da competição. 

O primeiro tempo foi vibrante, com a bem montada equipe da Intercana pressionando a equipe do Los Pankas, dentro da grande área, mas sem sucesso na finalização. O goleiro Tarcísio, dos Los Pankas,  foi um dos destaques da partida, principalmente na etapa inicial, com ótimas defesas. 

Na etapa complementar, com as duas equipes mais desgastadas, a equipe dos Los Pankas dominou o meio campo e neutralizou as ofensivas da Intercana, pelas laterais. Aos 33 minutos, o meio Douglas Samuel fez um belíssimo gol de cobertura, dando à vitória à equipe. 

A equipe da Intercana encerrou sua participação na competição.

 

0
0
0
s2sdefault

Goianésia Mix Festival acontece nos dias 11 e 12 de outubro.

  1.  

O Governo de Goianésia, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, realiza nos dias 11 e 12 de outubro, a 3ª edição do Goianésia Mix Festival (GMF). 

A entrada é gratuita. Grandes atrações estarão em Goianésia:

Dia 11 - sexta-feira

Tomate

Xande do Avião

Kleo Dibah

Samhara

 

Dia 12 - sábado

Cláudia Leite

Jet Lag

Hugo e Guilherme

0
0
0
s2sdefault

MP obtém liminar que obriga Saneago a providenciar rede de esgoto em ruas de Goianésia

A Saneamento de Goiás S.A. (Saneago) tem seis meses para construir a rede de esgoto sanitário das Ruas 10, 12, 14 e 25-A, no Setor Sul, em Goianésia, sob pena de multa diária de R$ 1 mil. Esse é o teor da liminar concedida pela juíza Ana Paula de Lima Castro ao Ministério Público de Goiás (MP-GO).

Em fevereiro deste ano, o promotor de Justiça Antônio de Pádua Freitas Júnior acionou a concessionária, em razão de danos ambientais provocados pela falta de rede de esgoto nessas vias públicas. As investigações, no entanto, começaram em 2016. Na época, o promotor requereu à Saneago esclarecimentos sobre as reclamações de moradores do bairro e à Secretaria Municipal de Meio Ambiente uma vistoria no local para que fossem apresentadas uma solução para o problema.

O órgão ambiental confirmou o lançamento de esgoto em via pública, bem como os riscos ao meio ambiente. Posteriormente, a Saneago informou que o local não tinha rede coletora de esgoto, sendo necessário ao atendimento da demanda um projeto para construção de aproximadamente 500 metros de rede coletora, passando por área de preservação permanente, o que demandaria licença ambiental. Também noticiou ter solicitado a execução de serviços topográficos e verificação da viabilidade técnica para atendimento do local.

Mais uma vez, já em 2017, o MP-GO requisitou dados sobre as providências adotadas para a construção da rede. Em resposta, a Saneago local afirmou ter pedido ao escritório central em Goiânia que providenciasse o levantamento e, mais tarde, avisou que o projeto hidráulico estaria pronto, faltando apenas a conclusão do projeto estrutural dos pilares de apoio da travessia da rede sobre o brejo, próximo ao Córrego Calção de Couro, prevendo que o estudo terminaria em um mês, e, ainda, que a interligação da rede se enquadrava na isenção de licenciamento ambiental, bem como que o processo tinha sido encaminhado para a Gerência de Melhorias Operacionais da empresa para providenciar licitação. Por fim, concluídos todos os estudos, a Saneago informou que as obras seriam executadas em 90 dias, a contar do dia 3 de outubro do ano passado, o que não ocorreu até o momento.

“Uma vez esgotadas todas as tentativas para a regularização da situação, tornou-se indispensável a propositura da ação a fim de que seja determinada a adoção de medidas para regularizar a situação da rede de esgoto das quatro ruas do Setor Sul”, afirmou o promotor ao concluir sua argumentação. (Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO).

 

0
0
0
s2sdefault

Futebol Amador: Jardim FC é o primeiro semi-finalista da Copa Haroldo

O Jardim FC venceu a Paivence por 3 X 2.

O Jardim FC carimbou seu passaporte para a semi-final da Copa Haroldo 2019, jogando na noite dessa quinta-feira, 03, contra a Paivence. 

O confronto terminou empatado em 2 X 2 no primeiro tempo. Porém, na etapa complementar, o Jardim dominou a partida e fez o 3º gol, confirmando a classificação. 

O fim de semana promete ser movimentado no futebol amador de Goianésia. Acompanhe aqui no Opiniaonet. 

O Jardim FC é o primeiro semi-finalista da Copa Haroldo 2019.

A equipe da Paivence perdeu por 3 X 2 e encerra sua participação na competição em 2019.

 

0
0
0
s2sdefault

ENEL instala em Anápolis maior estacionamento solar do Brasil

Distribuidora investiu cerca de R$ 6,6 milhões em projeto de eficiência energética na UniEvangélica.

Goiânia, 3 de outubro de 2019 – A Enel Distribuição Goiás inaugura nesta sexta-feira (4), às 17h30, o maior estacionamento solar do Brasil.  A usina solar fotovoltaica fica na UniEvangélica, em Anápolis, e conta com 2,9 mil placas solares em uma área de 5.630m².

No projeto de eficiência energética feito para a universidade também foram substituídas 10.627 lâmpadas por outras mais econômicas.

Desse modo, todo o sistema proporcionará uma economia de energia de 2.424,70 MWh/ano, o suficiente para abastecer aproximadamente 1.350 clientes residenciais com consumo médio mensal de 150 KWh durante um ano.

A distribuidora investiu cerca de R$ 6,6 milhões na usina solar, instalada de forma a proporcionar um estacionamento coberto para professores, alunos e funcionários.

De acordo com o responsável por eficiência energética da Enel Distribuição Goiás, Adriano Faria, o sistema será monitorado remotamente pela empresa, uma vez que esteja integralmente em operação. “Quando o consumo de energia na universidade for menor do que a capacidade gerada pela usina solar, o excedente será disponibilizado para a Enel Distribuição Goiás, gerando crédito pela energia injetada e abatimento no valor da conta do cliente”, explica.

Além dos benefícios da energia economizada e da demanda evitada no horário de ponta do sistema elétrico, a intenção é fomentar a cultura de combate ao desperdício na universidade e a conscientização quanto ao uso sustentável dos recursos naturais.

Neste ano, a Enel Distribuição Goiás entregou outros seis projetos de eficiência energética no Estado: Universidade Federal de Goiás (UFG), Santa Casa, Pontifícia Universidade Católica e Sesc Cidadania, em Goiânia; IF Goiano - Rio Verde e Sanatório Espírita de Anápolis. Por meio do programa Enel Compartilha Eficiência, a distribuidora investiu aproximadamente R$ 21,3 milhões nas iniciativas, que têm como foco a promoção do uso eficiente e racional da energia elétrica com a instalação de iluminação LED, usinas fotovoltaicas e aquecimento solar de água.

No total, os projetos proporcionarão uma economia de mais de 8,6 mil MWh/ano, suficiente para abastecer aproximadamente 4,6 mil clientes residenciais com consumo médio mensal de 150 KWh durante um ano.

Os projetos foram selecionados no ano passado, por meio de chamada pública, conforme requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os programas devem ter foco em ações que envolvam consumo consciente de energia, eficiência energética nas instalações elétricas e atividades educacionais.

Ao assumir um compromisso público com as Nações Unidas com seis dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Enel Compartilha Eficiência coloca em prática uma iniciativa que colabora com a melhoria da eficiência energética, impulsionando o ODS de número 7, que consiste em assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.

0
0
0
s2sdefault

Governo busca recursos para financiar Programa Juntos pelo Araguaia

A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis, esteve, na terça-feira, dia 1º, na Câmara dos Deputados com solicitação de emenda parlamentar para financiar o Programa Juntos pelo Araguaia. Ela se encontrou com parlamentares goianos, de outros Estados e apresentou o plano que visa a revitalização do rio.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) já efetivou nota de crédito para que seja iniciado o trabalho de elaboração do estudo de áreas prioritárias para recuperação da bacia hidrográfica do Rio Araguaia e o projeto executivo que visa a revitalização. A secretária Andréa Vulcanis participou, no dia 10 de setembro, no Palácio do Planalto, de reunião de controle do projeto, uma das prioridades do governador Ronaldo Caiado neste setor.

Os recursos já foram transferidos diretamente para a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que coordena a elaboração dos estudos de áreas prioritárias e do projeto executivo. O acordo de cooperação para execução do programa Juntos pelo Araguaia envolve os governos de Goiás, Mato Grosso e Federal.

O Juntos pelo Araguaia foi lançado no dia 5 de junho, em Aragarças (GO), com presenças do presidente da República, Jair Bolsonaro, e dos governadores Ronaldo Caiado e Mauro Mendes (MT). Ao longo dos próximos anos, o programa atuará na recomposição florestal, conservação de solo e água, além de ações paralelas nos municípios envolvidos.

Segundo o governador Ronaldo Caiado, o programa é um ambicioso instrumento de recuperação ambiental do Centro-Oeste. “Será o maior projeto instalado para recuperar bacias de um rio, não só no País, mas no mundo todo”, afirmou, na época do lançamento. A primeira etapa do programa fará a recuperação de 10 mil hectares da bacia hidrográfica, sendo 5 mil em Goiás e 5 mil no Mato Grosso. O investimento, da parte de Goiás, gira em torno de R$ 250 milhões.

Projeto
Com 2.115 quilômetros de extensão, a bacia hidrográfica do Rio Araguaia banha quatro Estados brasileiros. Diante da importância ecológica, turística, socioeconômica e cultural, o Programa Juntos Pelo Araguaia surge com o propósito de proteger todo esse patrimônio, e também propor novos modelos de desenvolvimento sustentável.

Concebida como uma iniciativa de médio e longo prazos, a ação vai atuar na conservação do solo (como a implantação de bacias de contenção de águas de chuvas e sedimentos), no terraceamento de pastagens e áreas agrícolas (para aumento da infiltração e direcionamento de canais de escoamento superficial) e recomposição florestal de áreas de preservação permanente. Paralelo a isso, serão desenvolvidas ações que vão influenciar diretamente na qualidade de vida da população do Vale do Araguaia.

O projeto conceitual foi desenvolvido pelo Instituto Espinhaço, por meio de acordo de cooperação técnica com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) do Governo de Goiás. Segundo a titular da pasta, Andréa Vulcanis, a expectativa é de que o programa já tenha efeito imediato sob alguns aspectos. “Nos últimos anos, a água do Rio Araguaia diminuiu o volume em 35%. Então, já se espera um aumento da quantidade de água disponível. A médio e longo prazos haverá o retorno da biodiversidade, das espécies, da fauna, de peixes e tudo mais. É um grande projeto e precisa de tempo para produzir resultados”, explica.

Sobre os recursos a serem aplicados inicialmente, Andréa Vulcanis explica que parte da verba, R$ 100 milhões, será repassada pelo governo federal a partir de conversões de multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). “E já estamos em busca de outros recursos, sejam internacionais, fundo perdido ou outras fontes. Vamos avançar nesta perspectiva a partir do momento em que o projeto executivo estiver pronto e detalhado”, conclui a secretária.

0
0
0
s2sdefault
© 2019 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados