Segunda e terça dia do bacalhau variedades de pratos por apenas 43,00 para duas pessoas.
Quarta e sexta dia da moqueca de peixe- 39,00 para duas pessoas
Quinta rodizio de pizza apenas 16,00 individual
Sexta tem som ao vivo com Celso Galvão a partir de 21 horas
Sábado tem feijoada a partir de 12 horas
Sábado à noite tem também Celso Galvão a partir de 21 horas
Domingo- almoço, futebol- tele-entregas

0
0
0
s2sdefault

Visita à Vinícola Pirineus.

Além de uma agenda repleta de mini-cursos de apreciação de vinho, séries de degustação e uma visita à vinícula Pireneus Vinhos e Vinhedos, a I Festa do Vinho de Pirenópolis - que ocorreu simultaneamente ao Festival Gastronômico e Cultural, de 9 a 12 de agosto,  se deu o primor de lançar dois produtos exclusivamente produzidos em solo local: os vinhos Intrépido (uva Syrah, 2010) e Bandeiras (uva Barbera, 2010).  

Fruto de um interesse que se iniciou ainda na década de 90, o médico Marcelo de Souza gradativamente passou de apreciador de vinhos para amante da bebida. Goianiense de nascimento, Marcelo encontrou no clima da Serra dos Pireneus o solo ideal para se tornar empreendedor do ramo, em 2008.

O resultado chega agora engarrafado em dois novos rótulos, produzidos na vinícula Pireneus Vinhos e Vinhedos. Da pequena produção-teste obtida em 2008, veio o sinal de que o potencial da região poderia gerar algo mais ambicioso. Culminou-se assim nos vinhos Intrépido  e Bandeiras, apresentados com zelo de quem lança filhos ao mundo.

“Tivemos que aprender do zero e fugir completamente do conceito de enologia do Sul”, conta Marcelo de Souza, no evento de lançamento, realizado no Solar da Aldeia, iluminado à luz de castiçais.  Focando as atenções inicialmente no Bandeiras (nome inspirado na história pirenopolina, desbravada por bandeirantes), Marcelo explica que a uva Barbera, tradicional da região de Piemonte (ITA), é conhecida por sua coloração intensa e robusta.

Marcante também pela acidez, no solo goiano a característica foi controlada com uma técnica de maceração mais longa (conhecida como maceração à frio), antes do processo de fermentação. Passaram em seguida seis meses pelas barricas, para não sobrecarregar o poder frutado da uva.

Mesmo com 15% de teor alcoólico, o Bandeiras não agride o paladar e seduz logo num primeiro contato. Tem uma identidade marcante e um impacto inicial que vai aos poucos se dirimindo em notas aromáticas sutis, que remetem à ameixa. Delicioso.

Apresentado em seguida, o Intrépido, das uvas Syrah, foi submetido ao processo de maceração antes e depois da fermentação. É suave e com notas aromáticas claras, tendo menos efeito adstringente que o Bandeiras. Teve a preferência manifestada de algumas pessoas, sobretudo mulheres, na roda de degustação em que estava. Mas admito, me cativou sobretudo o Bandeiras.

Somente os preços de venda, mesmo com todo o orgulho de se ter uma produção local de tamanha qualidade, é que evoca cautela. Vendidos inicialmente em restaurantes de Pirenópolis, Goiânia e Brasília, além de diretamente na vinícula, os vinhos tem preço estipulado de R$ 65 o Intrépido e R$ 70 o Bandeiras.

0
0
0
s2sdefault
No dia 26 de julho, o juiz eleitoral  de Santa Catarina, Luiz Felipe Siegert Schuch, expediu uma liminar mandando o site de relacionamentos Facebook retirar do ar a página "Reage Praia Mole", de crítica a um projeto turístico em Florianópolis. Quem fez o pedido foi o vereador Dalmo Meneses (PP), candidato à reeleição que se sentiu prejudicado pelo conteúdo veiculado de maneira anônima na comunidade.
Segundo a Justiça Eleitoral, a ordem foi desobedecida. Nesta quinta-feira (9/8), em nova decisão, Schuch mandou suspender o Facebook no Brasil e deixar no site apenas um aviso informando estar "inoperante por descumprimento da lei eleitoral". Em sua primeira decisão, o juiz citou uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que "veda o anonimato" em propagandas no período de campanha.
"Sem identificação do responsável pelas manifestação das opiniões ali publicadas, estão noticiados fatos e julgamentos pessoais depreciativos", escreveu Schuch sobre a comunidade. A ordem afirma que o cumprimento deve ocorrer a partir da notificação do Facebook.
Na rede social, nesta sexta-feira (9/8), é possível encontrar uma comunidade chamada "Reage Praia Mole 2", em que os responsáveis reclamam da desativação da página original.
Defesa
A representação do Facebook no Brasil informou que "está em contato com a Justiça Eleitoral a respeito deste assunto e que tem procedimentos implementados para lidar com questões relacionadas com propaganda eleitoral". A rede tem 37 milhões de usuários no Brasil. (Agência Brasil)
0
0
0
s2sdefault

Um dia desses escrevi no facebook que esta rede social se tornara a maior hipocrisia virtual já inventada. Ato contínuo, fui criticado, mas muito mais elogiado pela afirmação. Muita gente concordou comigo. Engraçado é que muitos destes simpatizantes já compartilharam muita hipocrisia virtual.

Ser hipócrita no facebook é fazer com que todos os seus seguidores o vejam como uma pessoa perfeita, reta, íntegra, e nem todo mundo é assim, convenhamos! Perfeito ninguém é! Reto e íntegro eu conto nos dedos. Talvez das mãos. Talvez numa só. Mas na rede social a perfeição impera.

Todos, sem exceção, postam os bons mandamentos da vida cotidiana, os bons costumes da convivência, do amor ao próximo, de ser o “boa praça”. Criticam a falta de ética alheia de forma implacável. Tem-se nítida impressão que os errados são todos os excluídos digitais porque cometem os mesmos pequenos deslizes cotidianos, mas não estão online se defendendo. Por exemplo, há um carro estacionado numa vaga de deficiente. Pronto. Chega alguém “plugado”, tira uma foto do celular e já posta automaticamente. Chove de compartilhamentos e críticas.

O alcance chega à casa dos milhares, dependendo da situação. E dou a cara a tapa se uma parcela significante de quem curtiu ou compartilhou aquilo já não parou seu carro em local proibido. É a hipocrisia no seu sentido mais puro!

Nunca vi alguém postar algo como: “a secretária lá de casa há 2 meses não recebe porque estou meio duro(a) esses dias”. Ou “bati meu carro ontem, e eu estava completamente errado”. São falhas e imperfeições do nosso dia-a-dia que podem ser creditadas à vida de qualquer mortal. E são postadas lá? Obviamente não, e até aceito o argumento de que essas “roupas sujas” devem ser lavadas apenas em casa.

Mas porque os louros sem importância e os fatos completamente irrelevantes são publicados a todo instante? Porque dizer a cada minuto que você está na pizzaria com mais 4 outras pessoas? É um aviso pro ladrão invadir sua casa? Ou para seus credores saberem onde te achar mais facilmente?

O excesso de compartilhamento de imagens é outro problema. O uso desmedido fez rapidamente o tiro sair pela culatra, e todo mundo compartilha tudo. Inclusive eu. E inclusive você, que está lendo isso. Dizem as más línguas que Sr. Zuckerberg já detectou esse comportamento orkutizado dos brasileiros e fez lá suas críticas. Acho que não, ele não perderia tempo com isso, tem ações aos borbotões nas bolsas de valores pra ocupar seu tempo.

Eu, particularmente, gosto das imagens com piadas curtas e eficientes. Chego a compartilhar algumas. Sei que estarei incomodando um ou outro. Mas a crítica deste texto se aplica também a mim. O difícil é ver a mesma imagem sendo compartilhada por 20, 30 pessoas, hoje, amanhã e semana que vem. Aí a coisa fica ruim, quase intragável.

Outro fenômeno interessante – e não menos incômodo – são as citações onipresentes de Caio Fernando Abreu e similares. As frases são boas, em sua maioria, mas há dois problemas aqui. Primeiramente, não há qualquer garantia de que as frases sejam de quem as legendas dizem que são. Ocorre na internet o que eu costumo chamar de Plágio ao Contrário: um anônimo cria uma frasezinha de efeito, e, para que ela tenha peso e seja compartilhada, atribui-se a autoria a um famoso que nunca sonhou em produzir aquilo (Glorinha Kalil e Luís Fernando Veríssimo que o digam).

A moda pega e todos criam, compartilham, curtem e a vida virtual segue. O outro problema é, de novo, a hipocrisia. As frases são um banho de otimismo, de auto-ajuda, de levantamento agudo de auto-estima. Você, que posta isso sem parar, está tão feliz assim? Sua doutrina de vida é sempre tão otimista? Consegue com tanta desenvoltura sair de situações íntimas difíceis?

E, pra finalizar as alfinetadas, você sabe realmente quem foi Caio Fernando Abreu? Sabe o quanto esse cara sofreu na vida por ser homossexual e namorar Cazuza, que não era flor que se cheirasse? Garanto que a maioria não sabe. Ele próprio foi um grandessíssimo hipócrita: em muitos momentos, suas frases não condiziam com sua vida amorosa.

Agora, o pior de todo o lixo facebookiano são as enganações. Um monte de gente acredita piamente que compartilhar uma imagem vai ajudar uma criança com câncer ou raquítica. Isso é a mais absurda ignorância. Já vi empresários de nossa cidade compartilhando fotos assim: uma criança com um tumor imenso na cabeça e a legenda enganosa avisando: o facebook doará U$ 0,05 por cada compartilhamento recebido. É muita tolice achar que uma ação longínqua dessas irá resolver um problema tão grave.

Costumo dizer que a vida na internet é inegavelmente igual à vida real. Existem riscos, coisas boas, coisas ruins, chatices, alegrias, congraçamentos, besteiras, crimes. Cabe a cada um ter bom senso. Na dúvida, nunca clique em “Enviar”. Refugue. Depois, entre no Google e procure as regras de etiqueta para o bom convívio no facebook. Eu já li esse guia, e realmente foi feito com muito bom senso e muita clareza. É uma pena que não tenha sido escrito pela Glorinha Kalil, como afirma a legenda. E dêem-me licença agora porque comecei a redigir esse texto há 10 minutos e preciso voltar rapidamente pro face.

Alessandro Cardoso

0
0
0
s2sdefault

Mega-Sena terá três sorteios na semana do dia dos pais

O mês de agosto traz uma novidade das Loterias da CAIXA. Na semana do Dia dos Pais, serão sorteados três prêmios da Mega-Sena. Os concursos 1.413, 1.414 e 1.415 serão sorteados na terça-feira (7), quinta-feira (9) e sábado (11), respectivamente. Todos os sorteios serão realizados no Caminhão da Sorte, estacionado em Santa Catarina, na cidade de Ascurra.

O último concurso da semana, a ser realizado no sábado (11), possui final cinco (5), por isso recebe um adicional de 5% do total destinado a prêmio dos últimos cinco concursos. O mesmo acontece a cada concurso com final zero (0).

Com a iniciativa, as Loterias da Caixa apresentam mais possibilidades do apostador ganhar prêmios milionários. Para o vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da CAIXA, Fábio Cleto, a introdução de mais um sorteio, na semana que antecede as comemorações do Dia dos Pais, valoriza a data e oferece aos apostadores mais uma chance de ganhar.

A aposta mínima na Mega-Sena é de R$ 2 e pode ser efetuada até as 19h (horário de Brasília), nos dias do concurso, em qualquer uma das mais de 11 mil lotéricas do país. Para concorrer com o mesmo jogo nos três concursos, o apostador pode contar com a Teimosinha.

0
0
0
s2sdefault