vereadoresVereadores falaram ao OpiniãoTV sobre a justificativa do Anteprojeto que causou muita polêmica na cidade.

Os vereadores J. Carlos e Heverton Fonseca apresentaram em parceria um requerimento  na Sessão Ordinária do último dia 21, um anexo Anteprojeto de Lei isentando de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) os Policiais Civis, Policiais Militares, Bombeiros Militares, Agentes Penitenciários concursados e Polícia Técnico-Científica, que trabalham e possuem residência fixa própria, ou 01 (um) imóvel em Goianésia.

De acordo com o Anteprojeto de Lei, a isenção seria direcionada aos trabalhadores da segurança pública que recebem possuem renda familiar mensal de até 08 salários mínimos.

Como se trata de um Anteprojeto, o prefeito Renato de Castro, analisará a proposta e em seguida retornará uma resposta aos vereadores. Caso opte pela aceitação do Anteprojeto, o prefeito encaminhará um Projeto de Lei à Câmara Municipal para apreciação dos vereadores.

O Anteprojeto não foi visto com bons olhos por boa parte dos goianesienses e as nas redes sociais da cidade, aconteceram centenas de protestos.  Os vereadores autores da proposta foram bastante criticados. Nas manifestações, trabalhadores de outras áreas também pediram a isenção. 

A reportagem do Opinião procurou os vereadores para que eles pudessem justificar o pedido de isenção. Confira no OpiniãoTV:

 

 

 

0
0
0
s2sdefault

IMG 20171119 WA0015 1Imagem enviada via WhatssApp

Um grave acidente de trânsito terminou em tragédia na noite deste domingo, 19, em Goianésia. Quatro pessoas ficaram feridas e uma não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

José Venâncio Farias, de 48 anos, conduzia uma F1000 preta pela Avenida Contorno, sentido norte/sul, quando nas proximidades da Rua 10, região leste da cidade, a roda dianteira esquerda se desprendeu do veículo e José Venâncio conseguiu os serviços do mecânico Lauro da Silva Amaral, de 38 anos.

Enquanto a dupla realizava a manutenção da caminhonete, Marciel Rosa de Carvalho, de 39 anos, amigo de José Venâncio passou pelo local juntamente Ramy César Dias, de 21 anos, e parou para ajudar. Em seguida, Onoildo Francelino de Jesus, de 39 anos, conduzindo um Gol azul no mesmo sentido que a caminhonete estava parada veio a atropelar José Venâncio, Lauro da Silva, Marciel Rosa e Ramy César, além da filha de José Venâncio, Naiane Vasconcelos Farias, de 22 anos.

A pancada foi tão que uma das vítimas acabou caindo dentro do Gol. Todas as vítimas receberam os primeiros socorros no local e foram levadas para à Unidade de Pronto Atendimento - UPA - pelas equipes do Corpo de Bombeiros e SAMU, no entanto, Lauro da Silva não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo a Polícia, o condutor do Gol estaria embriagado e após ser atendido na UPA seria levado para a Delegacia de Polícia.

IMG 20171119 WA0014Imagem enviada via WhatssApp

0
0
0
s2sdefault
rafaelRafael foi preso em flagrante - Imagem: Divulgação/Polícia Civil
No início da noite desta sexta-feira, 03, a Polícia Civil de Goianésia, tirou de circulação Rafael Pereira de Souza, o "Rafa", de 23 anos, suspeito de traficar drogas sintéticas na cidade. Rafa foi levado para a Delegacia de Polícia ao ser flagrado comercializando drogas do tipo ecstasy.
 
De acordo com a polícia, após busca minuciosa na residência do suspeito, os policiais civis ainda encontraram e apreenderam no telhado da residência porções de cocaína do tipo "escama de peixe", comprimidos de ecstasy, várias munições de calibre 380 e 38, além de uma "touca ninja" e embalagens que seriam utilizadas para embalar porções de cocaína.
 
Para a polícia, Rafael Pereira era considerado um pequeno traficante, porém, bastante esperto. Ele usava a artimanha de sempre portar pequenas porções de drogas, pois caso fosse abordado, não seria caracterizado como traficante, e sim usuário, mas depois de várias abordagens, esta artimanha não deu certo e ontem acabou caindo nas garras do GENARC - Grupo Especial de Repressão a Narcóticos, que já o monitorava e conseguiu coletar provas que o classificava como traficante, uma vez que Rafael portava consigo pequenas unidades de ecstasy quando  frequentava festas promovidas por alunos da faculdade, bem como, outras resenhas (festas), oferecendo a droga para os frequentadores destes locais a R$ 35 a unidade.
 
Vale ressaltar que há dois anos o consumo de drogas sintéticas aumentou de forma acentuada em Goianésia, principalmente entre adolescentes de 14 a 20 anos, e de alguns universitários. Porém, de acordo com os investigadores do GENARC, há uma dificuldade para identificar os grandes fornecedores, visto que os atuais traficantes desse tipo de droga só as adquirem em pequenas quantidades em um tipo de consórcio onde vários traficantes adquirem para revender e outra parte para consumirem em festividades também denominadas de "rock".
 
Segundo a polícia, nestas festas o consumo de drogas e bebidas alcoólicas facilitam a prostituição dos adolescentes que tem como consequências o abandono dos estudos, gravidez indesejada e principalmente a dependência química.
 
Como de praxe Rafael Pereira foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de munições de uso permitido e se encontra à disposição da justiça local.
 
Fonte: Meganésia
0
0
0
s2sdefault

bispo

São Paulo - O Sínodo dos Bispos para a Amazônia, convocado pelo papa Francisco para outubro de 2019, pode marcar a discussão de um tema tabu para a Igreja Católica: a ordenação de homens casados como padres.

Segundo reportagem publicada pelo jornal italiano Il Messaggero, na última quinta-feira, 2, o cardeal brasileiro Cláudio Hummes propôs ao Pontífice que inclua na agenda do encontro episcopal a possibilidade de estender o sacerdócio aos chamados "viri probati", homens casados, de fé comprovada e capazes de administrar espiritualmente uma comunidade de fiéis.

Essa realidade fazia parte dos primórdios da Igreja Católica, mas hoje é objeto de divisão dentro da Cúria. O objetivo da medida seria aumentar o escasso número de padres à disposição na Amazônia e facilitar o desejo de Francisco de "evangelizar" essa porção do planeta, principalmente os indígenas.

A proposta iria ao encontro da meta do Sínodo, que é achar "novos caminhos" para levar a doutrina católica aos povos amazônicos. Ainda segundo "Il Messaggero", o Papa poderia usar a Amazônia como "experimento" para a ordenação de "viri probati", mas a questão deve enfrentar resistência dentro da Cúria. (Agência Estado)

0
0
0
s2sdefault
enem
Participantes do Enem 2017 afirmam terem sido "pegos de surpresa" com o tema da redação da edição deste ano do exame. Os estudantes tiveram que escrever sobre os desafios da educação de surdos. Em Belo Horizonte, a estudante Brenda Gabriela Noronha, de 17 anos, foi uma das primeiras participantes do Enem a deixar o prédio de uma faculdade no centro, onde cerca de 2,5 mil estudantes estavam inscritos para prestar o exame.
 
"Não esperava esse tema. Não passou nem perto do que imaginei. Pensei que seria alguma coisa ligada à diversidade sexual", afirmou a estudante. Bianca Hellen Beloni, de 21 anos, também foi nessa linha. "Foi algo muito falado. Tem também o Pablo Vittar, que faz muito sucesso", justificou.
 
Pedro Henrique Ferreira Gonzaga, de 18 anos, também não esperava tema nessa área. Mas imaginou que seria alguma coisa relacionada à política. "Mas acho que deu certo. Falei sobre o fato de empresas preferirem o lucro a investir na capacitação de pessoas que enfrentam esse problema", disse. O candidato Alan Christian da Silva, de 22 anos, que fez a prova em Sorocaba, interior de São Paulo, disse ter ficado surpreso com o tema. Ele só reclamou de o tema ter focado apenas a questão dos surdos em relação à educação, o que o tornou muito específico.
 
"Deviam ter pegado a deficiência em geral e em todos os campos, pois deixaria o debate mais interessante." Aluno de Engenharia, ele faz o Enem para conseguir uma bolsa. "Acho que desenvolvi bem, estou esperançoso", disse. O candidato Leonardo Moraes, de 23 anos, e que faz o Enem pelo segundo ano, disse que o tema estava fora das expectativas. "Achei que seria um tema político ou envolvendo o Oriente Médio, mas não foi difícil."
 
O treineiro Gustavo Bellesi Neto, de 15 anos, também achou o tema bom para quem gosta de escrever. "Embora os surdos sejam uma minoria, acho importante tratar disso. Desperta a consciência para o problema dos deficientes e do espaço que eles precisam ter na sociedade."
 
Rafael Gonçalves, de 23 anos, que busca vaga de Enfermagem em universidade federal, também esperava um tema mais político. "O tema surpreendeu, mas achei fácil de desenvolver." Já a candidata Emilly Munhós de Almeida, de 17 anos, disse que o tema não fugiu ao esperado. "Ficou perto do que a gente achava que ia ser, por isso fui um pouco melhor que no ano passado. Estou esperançosa", disse a jovem, que pretende fazer Fisioterapia.
 
O estudante de Nutrição, Jorge Alan, de 19 anos, optou por não fazer a Redação com o tema desafios do ensino na educação dos surdos no Brasil. "Já não estava muito a fim de fazer a Redação e quando veio este tema difícil foi que optei por não fazer. Estou fazendo o Enem pela quinta vez somente para testar meus conhecimentos", disse, ao sair das provas realizadas no Centro Universitário Estácio do Ceará, em Fortaleza.
 
 
0
0
0
s2sdefault