Governo de Goiás quer instalar 15 laboratórios de robótica em Goiás

Caiado assina acordo para instalação de 15 laboratórios de robótica em Goiás.

O governador Ronaldo Caiado assinou, neste sábado (7/9), na Campus Party Goiás, o Protocolo de Intenções para a instalação de 15 laboratórios de robótica de acesso gratuito, o Include, em municípios goianos. O protocolo é uma parceria do Governo estadual, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação, com o Instituto Campus Party e a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e prevê investimentos de R$ 1,8 milhão.

“Minha maior alegria é que diagnosticamos a melhor maneira de fazer com que a criança e o jovem sintam interesse de voltar para a sala de aula. A tecnologia e a inovação são o caminho para o futuro das novas gerações, abrindo perspectivas para a qualificação e a conquista dos melhores lugares profissionais amanhã. É algo desafiador, e Goiás vai continuar avançando”, afirmou Caiado.

A escolha dos municípios teve por princípio o Índice Multidimensional de Carência das Famílias de Goiás (IMCF), o que levou à definição pelos municípios de Amaralina, Campinaçu, Cavalcante, Colinas do Sul, Heitoraí, Matrinchã, Monte Alegre de Goiás, Montividiu do Norte, Santa Terezinha de Goiás, Teresinha de Goiás e Flores de Goiás.

“Outros quatro Includes serão definidos posteriormente, pelo Gabinete de Políticas Sociais, coordenado pela primeira-dama Gracinha Caiado”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima.

O presidente do Instituto Campus Party (ICP), Francesco Farruggia, recordou que foi a primeira-dama quem se empolgou com a ideia. “Quando ela conheceu o projeto, virou para mim e disse ‘vamos fazer um monte de laboratórios em Goiás’. E o governador me impôs uma condição: que pelo menos um fosse destinado à comunidade Kalunga”, relembrou.

Acesso à tecnologia

O Include consiste na criação e montagem de laboratórios de robótica, de acesso gratuito, para aproximar jovens menores de 18 anos e moradores de comunidades carentes da tecnologia. A proposta prevê um período de dois anos para execução do programa, atendendo 300 jovens por unidade e até 4.500 jovens no total, considerando as 15 unidades a serem abertas.

Ainda segundo Farruggia, o primeiro objetivo é fazer com que os estudantes, já no prazo de seis meses, consigam ganhar dinheiro com o que aprenderam. Depois, a meta é mudar a realidade social das comunidades e da própria família. “Nestas localidades, a garotada nunca teria acesso à tecnologia, como uma impressora 3D. O Include tem esse papel de oferecer essa oportunidade.”

Por meio do programa serão desenvolvidos quatro módulos de capacitação: eletrônica, programação, sensores e mecânica. E ainda, de forma complementar, oito atividades extras: desenhos em 3D com softwares livres, manuseios de impressora 3D, projetos em 3D, programação em smartphones, desenvolvimentos de aplicativos, iniciação ao GNU/Linux, conceitos de design web e manuseio de óculos de realidade virtual.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação também divulgou, neste sábado, na Campus Party que uma unidade da rede de Institutos Tecnológicos de Goiás (Itego) vai sediar a Escola do Futuro. O objetivo é treinar os alunos nas novas profissões que estão surgindo a partir da tecnologia.

Fonte / Foto: A Redação

0
0
0
s2sdefault
© 2019 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados