Coletivo LGBT de Goianésia realiza ação social no Lar do Idoso

O recém-criado Coletivo LGBT “UNS POR TODOS” da cidade de Goianésia realizou, no último dia 30, uma ação social intitulada “São João da Alegria” no Lar dos Idosos Srº Francisco Quagliato, localizado na Avenida Goiás B, saída para o povoado de Barreiro. Aproveitando o período das festividades juninas, os voluntários do coletivo elaboraram um vasto cardápio com comidas típicas da região com canjica, pé de moleque, pipoca, algodão doce, paçoca, bolo de banana, bolo de cenoura e doce de chocolate, acompanhando de um repertório bastante animado, composto por músicas sertanejas e forró. De acordo com João Vitor, um dos fundadores do grupo, a ação teve por objetivo oportunizar a troca de experiências entre os integrantes do movimento e os internos da instituição, estabelecendo um clima de alegria, carinho e, sobretudo, amor ao próximo.

Grupo LGBT "UNS POR TODOS" de Goianésia, realizou o São João da Alegria no Lar do Idoso Francisco Quagilato, no último dia 30.

“É uma experiência única, revigorante, sabemos da importância e do papel social que o Lar dos Idosos possuí perante a sociedade, pude sentir de perto um pouco dessa realidade, ao mesmo tempo em que se torna extremamente gratificante estar aqui oferecendo um pouco de alegria e diversão fica um sentimento de indignação com o abandono da maioria dos idosos por parte da família. Eles sentem falta. É nítido. Nossa intenção aqui é justamente tentar suprir essa falta de amor”.

O grupo é formado por gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e heterossexuais que simpatizam com a causa em defesa aos direitos humanos, as minorias sociais e aos demais grupos marginalizados pela sociedade.

O grupo é formado por gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e heterossexuais que simpatizam com a causa em defesa aos direitos humanos, as minorias sociais e aos demais grupos marginalizados pela sociedade. O coletivo fornece acolhimento, capacitação e formação técnica para LGBT’s com o intuito de participar ativamente na formulação de políticas públicas direcionadas a comunidade, ocupando posições de notório impacto e representatividade social, contribuindo diretamente para o fortalecimento do coletivo e do movimento como um todo.

Além disso, o grupo realiza mensalmente ações sociais direcionadas a diferentes entidades e instituições que desenvolvem projetos voltados a reinserção de pessoas que se encontram excluídas do convívio social em função de algum tipo de preconceito, incluindo também pessoas que se encontram em extrema vulnerabilidade econômica ou social. O coletivo surge com a intenção de proporcionar visibilidade a comunidade LGBT, desconstruindo paralelamente estigmas sociais que foram construídos ao longo dos séculos por visões, condutas e valores machistas, misóginos e sexistas, que acabaram dividindo a sociedade pelo gênero, designando papéis sociais específicos entre homens e mulheres.

“Devemos, acima de qualquer pontal diferença, nos unir e nos organizar enquanto coletivo. A população LGBT sofre há décadas com o descaso das políticas públicas e isso custa caro, é pago com nosso próprio sangue. O preconceito ceifa vida de centenas de LGBT’s, fazendo com que o Brasil ocupe o primeiro lugar na lista dos países que mais matam homossexuais no mundo. Temos a obrigação de instruir nossa comunidade e ajudar no que for possível para que possamos juntos lutar por uma sociedade cada vez mais justa, sobretudo, livre de qualquer tipo de preconceito. Pra que isso aconteça precisamos também do apoio da sociedade. Nossas ações sociais são para aproximar cada vez mais pessoas do nosso coletivo e poder transmitir que nós somos tão humanos quanto qualquer um, merecemos respeito, temos nossa dignidade e estamos fazendo a nossa parte, tentando fazer do mundo um lugar melhor pra se viver, ajudando quem realmente precisa, levando uma mensagem de esperança e conforto para todos, sem exceção, que necessitam de um pouco mais de atenção”, relata João Vitor, líder do coletivo.

A ação do Coletivo foi de levar alegria e amor aos idosos e ao mesmo tempo dar visibilidade à comunidade LGBT de Goianésia.

Como você pode ajudar?

O coletivo “UNS POR TODOS” se reúne mensalmente para discutir assuntos ligados a comunidade LGBT e planejar as ações sociais que também são realizadas uma vez ao mês. Por se tratar de um grupo de pessoas dispostas a trabalhar em prol do bem estar social, o coletivo realiza suas ações através do voluntariado e se posiciona inteiramente aberto a receber doações e celebrar parceiras, de iniciativa pública ou privada, que possam contribuir para o movimento.

Seja um voluntário!

Facebook/Instagram

@coletivo.unsportodos

João Vítor R. Gonçalves

0
0
0
s2sdefault
© 2019 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados