Polícia prende suspeito de ser maior estuprador em série de Goiás

Exames periciais de DNA já confirmaram que Wellington Ribeiro da Silva, 52 anos é o autor dos crimes sexuais contra 22 vítimas, ocorridos entre os anos de 2008 e 2019 (Foto: PC Goias)

A Polícia Civil com o apoio da Polícia Técnico-Científica realizou uma força-tarefa que culminou na prisão de Wellington Ribeiro da Silva, de 52 anos, suspeito de ser um estuprador em série. O suspeito é investigado por 47 estupros ocorridos em Goiás.

Segundo informações da Polícia Civil, exames periciais de DNA já confirmaram ser ele o autor dos crimes sexuais contra 22 vítimas, ocorridos entre os anos de 2008 e 2019. A investigação foi feita com trabalho de inteligência, coleta de declarações das vítimas e análise do “modus operandi” do autor.

As investigações mostram que o suspeito anunciava um assalto, obrigava as vítimas a subirem em sua moto, e as levava para local ermo, onde praticava o crime, valendo-se de grave ameaça (uso de arma de fogo) e sem retirar o capacete, a fim de ocultar sua identidade. Wellington Ribeiro tem antecedentes criminais por roubo, estupro e homicídio.

No dia 7 de maio de 2011, Wellington foi preso em flagrante por ter estuprado uma vítima e ter feito sexo oral em sua bebê de 5 meses, no Jardim Ipanema, em Goiânia. No auto de prisão em flagrante, ele se apresentou com o nome falso de Sérgio Rodrigues da Silva. Por ter procedimentos penais no estado do Mato Grosso pelos crimes mencionados, o suspeito foi transferido de Goiás para o referido Estado, visto que a pena era maior.

Ele foi condenado a 57 anos de prisão pelo Poder Judiciário de Mato Grosso. Mas, em 20 de novembro de 2013, fugiu da penitenciária. Wellington Ribeiro da Silva foi preso no último dia 12 de setembro. Ele foi detido em uma via pública, no Setor Veiga Jardim, Aparecida de Goiânia, próximo ao Anel Viário.

A Operação Impus foi assim batizada em razão do nome em latim significar perverso.

0
0
0
s2sdefault

Embrapa perde 45,5% de seu orçamento

Redução será de R$ 1,732 bilhão. (Foto: Embrapa)

O governo federal pretende cortar em 45,5% o orçamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em 2020. No projeto de lei do orçamento enviado ao Congresso no fim de agosto está previsto um valor de R$ 1,982 bilhão à maior estatal de pesquisa do País. Esse valor representa redução de R$ 1,732 bilhão em relação ao orçamento aprovado para este ano, de R$ 3,634 bilhões.

Do recurso total anunciado para a Embrapa em 2019, R$ 3,077 bilhões são para encargos e despesas pessoais. Ou seja, seria necessário um aporte de R$ 1,095 bilhão no orçamento estimado para 2020 só para pagar funcionários. Para despesas com pesquisas e outros gastos faltariam mais R$ 557 milhões. Ao Estadão/Broadcast, plataforma de notícias em tempo real do Grupo Estado, a Embrapa informou ter recebido a proposta do orçamento para o próximo ano "com preocupação", pois os recursos "não serão suficientes para cobrir as despesas institucionais".

Segundo a estatal, a proposta de 2020 prevê o destino de mais R$ 1,796 bilhão, mas o valor está alocado na chamada "fonte 944". Recursos dessa fonte são contingenciados na sanção do orçamento e só são liberados com a aprovação de outros projetos de lei de abertura de créditos suplementares, ou especiais, e pela maioria absoluta do Congresso.

De acordo com a Embrapa, essa fatia passível de contingenciamento prévio, de R$ 1,796 bilhão, "inclui recursos destinados ao pagamento de pessoal e, potencialmente, às aplicações em custeio e investimentos". "A diretoria executiva da Embrapa mantém seu alinhamento às determinações das instâncias superiores e decisórias do processo de execução da lei orçamentária.

O gasto com pessoal, numa empresa de inovação e geradora de conhecimento, como a Embrapa, é estratégico e fundamental para alavancar a atividade fim." A Embrapa informou que avalia os valores apresentados na proposta e que "realizará os esforços necessários para se adequar ao orçamento que será aprovado até o fim do ano pelo Congresso Nacional". Paralelamente, de acordo com a estatal, áreas técnicas da sede da empresa "avaliam demandas institucionais prioritárias, bem como estudos de cenários e impactos junto às unidades descentralizadas, e apresentarão proposta à diretoria executiva da Embrapa, para fins de deliberação".

Os estudos serão feitos com o objetivo de acompanhar o ciclo de aprovação do orçamento federal de 2020 e "seus reflexos no triênio seguinte, produzir análises de interesse estratégico e propor e articular ações que busquem o financiamento necessário para as ações de gestão institucional, pesquisa e inovação agropecuária".

Demissões
Entre as medidas já adotadas para reduzir gastos com a folha de pagamento, que consome 85% do orçamento da Embrapa, está um Programa de Demissão Incentivada (PDI). A medida contou com a adesão de 1.359 empregados, dos quais 375 foram desligados em agosto. O restante terá seus contratos rescindidos até dezembro deste ano. O custo com as rescisões já executadas foi de R$ 40 milhões, aproximadamente, e o PDI deve trazer uma economia no orçamento de pessoal de R$ 120 milhões por ano até o fim de 2020, segundo a Embrapa.

As rescisões são escalonadas e duram cinco meses, com fatias mensais de desligamentos de empregados entre agosto e dezembro. Mas, segundo fontes da Embrapa, o cronograma de saída dos funcionários que aderiram ao PDI está ameaçado pela falta de recursos já em 2019. Alguns foram informados por e-mail que os desligamentos de novembro e dezembro poderão ser postergados para 2020.

Gratificações
A Embrapa gasta R$ 75,25 milhões por ano com o pagamento de gratificações a funcionários. Levantamento feito pelo Broadcast Agro e por funcionários da Embrapa, a partir de dados públicos disponíveis na internet, aponta o destino de R$ 5,79 milhões por mês (12 meses mais 13.º salário) para um grupo de pouco mais de 1 mil dos 9 mil empregados.

Esses funcionários exercem cargos de chefia, assessoria, coordenação, gerência e supervisão e recebem entre R$ 3.534,98 e R$ 11.654,47 por mês de comissão, além dos salários fixos. Para efeito de comparação, um chefe de departamento de uma universidade federal ganha R$ 975,51 e um coordenador de curso R$ 983,18 de gratificação. Segundo a estatal, "o gasto com gratificações realizado pela Embrapa é um processo em contínua revisão e abarca empregados com elevado nível de escolaridade. A revisão das gratificações e a análise de potenciais impactos estarão contempladas em estudos que serão realizados pelas equipes técnicas da empresa". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Agência Estado)

0
0
0
s2sdefault

Vaquejada é reconhecida como patrimônio cultural brasileiro

O presidente da República Jair Bolsonaro sancionou na terça-feira, 17,  o Projeto de Lei que regulamenta as práticas da vaquejada, do rodeio e do laço no Brasil.
 
O projeto é resultado da Emenda Constitucional 96 que, entre outros pontos, reconheceu a vaquejada como bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro. A emenda determinou a regulamentação da prática por uma lei específica, que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.
 
De acordo com o texto aprovado no dia 20 de agosto, e que foi sancionado sem vetos pelo presidente, ficam reconhecidos o rodeio, a vaquejada e o laço como expressões esportivas e culturais pertencentes ao patrimônio cultural brasileiro de natureza imaterial.
 
A proposta aprovada define as modalidades que passam a ser reconhecidas como esportivas, equestres e tradicionais. Na lista estão, entre outras, o adestramento, o concurso completo de equitação, o enduro, o hipismo rural, as provas de laço e velocidade, a cavalgada, a cavalhada, o concurso de marcha, a corrida, as provas de rodeio e o polo equestre. (Agência Estado)
0
0
0
s2sdefault

Rede Itego abre inscrições para cursos técnicos em Zootecnia e Agricultura

A Rede Itego abriu este mês dois novos cursos técnicos de nível médio nos institutos Tecnológicos do Estado de Goiás (Itego) de Porangatu e Cristalina. Os cursos têm duração de aproximadamente um ano e meio e atendem ao objetivo do Governo de Goiás de qualificar a população para oportunidades no mercado de trabalho.

Ao todo são 80 vagas distribuídas para as duas cidades, sendo 40 vagas para o curso técnico em Zootecnia oferecido pelo Itego Maria Sebastiana da Silva, em Porangatu, com aulas no período noturno, e 40 vagas para o curso técnico em Agricultura, que é oferecido pelo Itego Genervino Evangelista da Fonseca, em Cristalina, onde as aulas serão ministradas no período matutino.

As inscrições para o processo seletivo nas duas unidades estão abertas e podem ser feitas até o dia 27 de setembro nos seguintes endereços: Avenida Mutunópolis, s/n Jardim Brasília (Porangatu) e Rua Tapuias nº 684, Setor Lustosa (Cristalina). O início das aulas está marcado para o dia 1º de outubro.

No ato da inscrição, o candidato deve se atentar a alguns detalhes. É preciso levar a ficha de inscrição devidamente preenchida (consta no site do ibraceds.org.br), juntamente com os seguintes documentos: cópia da identidade, comprovante de escolaridade e cópia do CPF.

Os cursos serão oferecidos na modalidade presencial. Estar cursando o 2º ou 3º ano do Ensino Médio ou equivalente e ter idade mínima de 16 ou 18 anos, são alguns dos requisitos para a inscrição.

A seleção dos candidatos faz parte dos editais de nº 33 e 34/2019 que estão inseridos no site do Ibraceds (Organização Social responsável pelos Itegos e Cotecs das regiões Norte e Nordeste do Estado) e será realizada em apenas uma única etapa, tendo como critério de avaliação a nota do candidato no Enem ou a média global do último ano ou série do Ensino Médio ou equivalente.

O acompanhamento dos resultados das 1º e 2º chamadas, que serão disponibilizados no dia 30 de setembro no mural de informações do Itego, é de inteira responsabilidade do candidato. Mais informações pelos telefones (61) 3612-1942 (Cristalina) e (62) 3362-3677 (Porangatu).

0
0
0
s2sdefault

Em Audiência Pública, CPI da Enel ouvirá população de Goianésia

O deputado estadual Cairo Salim (Pros), realizará na quinta-feira, 19, em Goianésia, a 13ª Audiência Pública Itinerante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa, responsável por apurar supostas irregularidades no fornecimento de energia por parte da empresa Enel. O encontro acontecerá na Câmara Municipal de Vereadores, às 19 horas. 

No encontro serão colhidas as reivindicações e denúncias pertinentes por parte de vereadores, empresários e lideranças do município. Assim como nas outras audiências realizadas no interior do Estado, os participantes poderão manifestar suas reivindicações referentes ao aumento das tarifas, às quedas de energia, aos cortes e  à negativação junto aos órgãos de proteção ao crédito. 

Desde de sua instalação, em 28 de fevereiro, a CPI da Enel promoveu encontros itinerantes em Anápolis, Rio Verde, Aparecida de Goiânia, Catalão, Morrinhos, Caldas Novas, Itumbiara, Porangatu, Uruaçu, Quirinópolis, Jataí, e Sâo Miguel do Araguaia. Agora é a vez de Goianésia. Participe!

0
0
0
s2sdefault

Tragédia: Antes de jogar seu carro em caminhão, ex manda filho gravar despedida

TRAGÉDIA ANUNCIADA: Pai envia mensagem à ex-esposa e diz que vai acabar com a vida dele e a do filho de 9 anos. Acidente na PR-445 confirma a mensagem dita pela ex-mulher, após saber da tragédia que matou os dois. Foto: Divulgação

Pouco antes de bater o carro em uma carreta na tarde de sexta-feira (14), Marco Antonio Alves, de 45 anos, mandou o filho, Matheus Gabriel Kuasne Oliveira, de 9 anos, gravar um vídeo e enviar para a mãe dele. “Adeus, mãe!”, se despediu.

Erika Kuasne pediu socorro na delegacia. Mas não deu tempo, pouco depois seria avisada de que o filho e o ex-marido morreram no grave acidente na PR-445, em Londrina, no norte do Paraná.

Inconformado com a separação do casal há três anos, Marco pegou o filho e, durante horas, enviou mensagens com ameaças.

A tragédia

O motorista da carreta contou que o Chevrolet Corsa Classic invadiu a pista contrária e causou a colisão. Quando o Corpo de Bombeiros foi acionado, a criança ainda estava viva, mas quando chegaram, o coração de Matheus já não batia mais.

Para os policiais, Erika mostrou mensagens em que o filho se despede. “Adeus, mãe!”, diz a criança em poucos segundos, com os olhos lacrimejados. “Minha decisão foi tomada, não volto atrás. Ia ser você, mas aqui vai doer mais para ti”, escreveu o homem uma hora antes do acidente.

 

0
0
0
s2sdefault

Page 1 of 368

© 2019 Jornal Opinião - Todos os direitos reservados